Política

Flávio Dino: “Não se pode ir apenas à esquerda”

O governador já tem a maior fatia do eleitorado maranhense e dialoga com 12 partidos; Expectativa agora gira em torno da chapa e indicação de um Senador

Reprodução

Pensando em bons resultados nas eleições de 2018, o governador Flávio Dino articula alianças com 12 partidos para disputar a reeleição. Com o objetivo de derrotar mais uma vez o grupo político do ex-presidente José Sarney (PMDB), Dino poderá abrir palanque para o DEM, PSDB e PEN, além de manter relações com os partidos que formaram a base governista nas últimas eleições.

“Não se pode ir apenas à esquerda”, disse o governador ao justificar a pluralidade de acordos políticos que tem feito. A declaração veio após o PEN anunciar uma possível filiação do então deputado Federal Jair Bolsonaro para candidatura pela disputa presidencial, o que pode vir associar a imagem do governador a um dos políticos mais polêmicos do país. Dino afirma porém, que as conversas com o partido iniciaram antes do anúncio.

Ao longo da sua atual gestão, o governador do Maranhão tem estreitado laços principalmente com o DEM e o PSDB, este último inclusive indicou o vice Carlos Brandão na Chapa. Para 2018, a expectativa é que mantenha-se um vice tucano, segundo o Secretário de Comunicação Social e articulação política, Marcio Jerry. Ele afirma que as alianças são “uma coalisão plural e republicana”, onde devem prevalecer as relações locais, justificando que a grande diferença do PC do B no estado está em “ não enquadrar os jogos políticos estaduais na dinâmica nacional”, disse o secretário.

A vaga de vice também é cobiçada pelo PT, que se não tiver a oportunidade de compor a chapa, exige o apoio de Dino à indicação de um nome ao Senado. Não é o que governador, no entanto, planeja. Alguns nomes já estão cotados para cargo de senador, entre eles o deputado federal Weverton Rocha (PDT) e a também parlamentar Eliziane Gama (PPS).

Nas eleições de 2014, a chapa Dino contou com 9 partidos (PP / SD / PROS / PSDB / PC do B / PSB / PDT / PTC /PPS), três a menos do que se espera para o ano que vem. Criando bases ainda nas eleições municipais de 2016, o PC do B atraiu parte dos aliados dos Sarney, somando até agora 46 prefeituras. A legenda cresceu e possui agora grande parte do eleitorado do estado, já que cerca 70% dos municípios, inclusive na capital, são comandados por aliados à Dino.

O governador aposta no interior, expandindo ações em diversas regiões: distribuição de ambulâncias, recuperação asfáltica em mais de 151 municípios, além dos programas Escola Digna, que já reformou mais de 574 unidades escolares em todo o território maranhense e o Mais Saúde, com caravanas que levam assistência básica de saúde à comunidades rurais dos municípios.