CORONAVÍRUS

No Maranhão

568
353095
309592
10120
FESTIVAL DE GRAMADO 2021

Festival de Gramado conta com filmes de Glória Pires e diretor do ‘Caso Evandro’

Os filmes terão sua exibição tanto pela internet quanto pela televisão

Reprodução

A nova edição do Festival de Gramado de 2021, assim como ocorreu no ano passado seguirá tendo seu formato híbrido, por causa da pandemia de Covid-19. Sendo assim, entre 13 e 21 de agosto, os filmes terão sua exibição tanto pela internet quanto pela televisão, através Canal Brasil para as pessoas que sejam assinantes, já no aberto pela TVE para os moradores do Rio Grande do Sul.

Nesta terça-feira (13), foi divulgado por meio da coletiva de imprensa, os detalhes e a programação oficial da 49ª edição do evento. Ao total, onze longa-metragens virão a ser exibidos na mostra principal, entre eles, sete nacionais e quatro de países sul-americanos, tendo uma curadoria assinada por Marcos Santuario e pela atriz argentina Soledad Villamil. Os curtas são representados por 14 produções nacionais.

Os destaques para o festival nacional são, “Jesus kid”, do diretor paranaense Aly Muritiba, que fez a série “O caso Evandro” no Globoplay; “A suspeita”, de Pedro Peregrino, protagonizado e produzido por Glória Pires; “Carro rei”, da pernambucana Renata Pinheiro, com Matheus Nachtergaele; e “Homem onça”, estrelado por Chico Diaz, com o carioca Vinicius Reis à frente.

Além disso, festival terá ainda duas mostras dedicadas exclusivamente a produções gaúchas, uma de longas-metragens e outra de curtas, com três e 24 filmes, respectivamente.

Abaixo, confira a lista completa de filmes do 49º Festival de Gramado:

Longas brasileiros

  • “A primeira Morte de Joana” (RS), de Cristiane Oliveira
  • “A Suspeita” (RJ), de Pedro Peregrino
  • “Álbum em Família” (RJ), de Daniel Belmonte
  • “Carro Rei” (PE), de Renata Pinheiro
  • “Homem Onça” (RJ), de Vinícius Reis
  • “Jesus Kid” (PR), de Aly Muritiba
  • “O Novelo” (SP), de Claudia Pinheiro

Longas estrangeiros

  • “Gran Avenida” (Chile), de Moises Sepulveda
  • “La teoría de los vidrios rotos” (Uruguai, Brasil e Argentina), de Diego Fernández Pujol
  • “Planta permanente” (Argentina e Uruguai), de Ezequiel Radusky
  • “Pseudo” (Bolívia), de Gory Patiño e Luis Reneo

Curtas brasileiros

  • “A Beleza de Rose” (CE), de Natal Portela
  • “A Fome de Lázaro” (PB), de Diego Benevides
  • “Animais na Pista (PB)”, de Otto Cabral
  • “Aonde vão os Pés” (PR), de Débora Zanatta
  • “Da Janela Vejo o Mundo” (PR), de Ana Catarina Lugarini
  • “Desvirtude” (RS), de Gautier Lee
  • “Entre Nós e o Mundo” (SP), de Fabio Rodrigo
  • “Eu não sou um robô” (RS), de Gabriela Lamas
  • “Fotos Privadas” (RJ), de Marcelo Grabowsky
  • “Memória de Quem (Não) Fui” (RJ), de Thiago Kistenmacker
  • “O que Há em Ti” (SP), de Carlos Adriano
  • “Per Capita” (PE), de Lia Leticia
  • “Quanto Pesa” (MA), de Breno Nina
  • “Stone Heart “(AM), de Humberto Rodrigues

Longas gaúchos

  • “A Colmeia” (Porto Alegre), de Gilson Vargas
  • “Cavalo de Santo” (Porto Alegre), de Mirian Fichtner e Carlos Caramez
  • “Extermínio” (Cachoeira do Sul), de Mirela Kruel
  • Curtas gaúchos
  • “Jardim das Horas’ (Porto Alegre), de Matheus Piccoli
  • “Cacicus” (Santa Cruz do Sul), de Bruno Cabral e Gabriela Dullius
  • “Era uma Vez… uma Princesa” (Porto Alegre), de Lisiane Cohen
  • “Depois da Meia Noite” (Caxias do Sul), de Mirela Kruel
  • “Para Colorir” (Porto Alegre), de Juliana Costa
  • “Um dia de primavera” (Porto Alegre), de Lisi Kieling
  • “Nave Mãe” (Sapucaia do Sul), de Gisa Galaverna e Wagner Costa
  • “Rota” (São Leopoldo), de Mariani Ferreira
  • “Tormenta” (Porto Alegre), de Emiliano Cunha e Vado Vergara
  • “Não Sou Eu” (Porto Alegre), de Theo Tajes
  • “Comboio pra Lua” (Pelotas), de Rebeca Francoff
  • “Fé” (Porto Alegre), de Thais Fernandes
  • “Tom” (Porto Alegre), de Felippe Steffens
  • “Solilóquio” (Porto Alegre), de Marcelo Stifelman
  • “Nilson filho do campeão” (Santa Cruz do Sul), de Diego Tafarel
  • “Eu não sou um robô” (Porto Alegre), de Gabriela Lamas
  • “Desvirtude” (Porto Alegre), de Gautier Lee
  • “Noite Macabra” (Canoas), de Felipe Iesbick
  • “Love do Amor” (Restinga Sêca), de Fabrício Koltermann
  • “Isso me faz pensar” (Porto Alegre, de Hopi Chapman
  • “Brecha” (Pelotas), de Helena Thofehrn Lessa
  • “Rufus” (São Leopoldo), de Eduardo Reis
  • “Hora feliz” (Porto Alegre), de Alex Sernambi
  • “Trem do Tempo” (Pelotas), de Vitor Rezende Mendonça
VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias