18 FACADAS

Ex-marido de Girlene não está arrependido de crime

Gutemberg Bezerra, capturado na última terça-feira, não demonstrou remorsos durante o depoimento, mesmo sabendo do impacto causado na vida de Girlene e do filho de 14 anos

Sem remorsos, frio e calculista. É este o perfil de Gutemberg Bezerra, o Guto, acusado de ter esfaqueado a ex-mulher 18 vezes numa tentativa cruel de feminicídio no dia 23 de fevereiro, em Paço do Lumiar. De acordo depoimentos prestados à Polícia, o acusado “já tinha pedido muito pra Deus arrependimento, mas não consegue”.

Gutemberg foi capturado na última terça-feira, dia 20, escondido na casa de um parente no Ceará. Sem demonstrar sentimentos, confessou à Polícia ter cometido o crime. Quando questionado pela delegada Viviane Azambuja, do Departamento de Feminicídio da SHPP, sobre o impacto causado na vida de Girlene e do filho de 14 anos, disse: “É. Pro meu filho agora eu sou um monstro”.

Gutemberg confessou ter desferido 18 golpes de faca contra a ex-mulher

O adolescente, fruto do relacionamento, está muito abalado, de acordo com a família. “Ontem que a ficha caiu pra ele quando ele viu o pai sendo preso. Chorou muito. A gente vai até levar ele pro psicólogo, porque ele tá muito abalado“, disse Girlean Araújo, irmã de Girlene.

Segundo Azambuja, o único resquício de arrependimento que o criminoso demonstra é relacionado à sua prisão. “Até então ele estava muito tranquilo”, informa a delegada. Ainda nesta quinta-feira, 22, Gutemberg prestará novo depoimento à Polícia. O criminoso encontra-se no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

O estado de Girlene

Segundo a família, Girlene tem mostrado melhoras apesar da gravidade do ocorrido e das cicatrizes. Consciente do que aconteceu, a sobrevivente está sob cuidados de familiares. “Ela vai voltar a trabalhar, recuperar tudo e seguir a vida”, informa a irmã, Girlean.

Para os parentes de Girlene, fica a esperança de justiça. “A gente espera que ele pague pelo que ele fez com a minha irmã. Ele vai ter que pagar. Mas ao mesmo tempo, a gente ficou triste, porque ele conviveu com a gente 14 anos. Ele não teve remorso não“, aponta Girlean.

Foragido

Enquanto foragido, Gutemberg ficou escondido na casa de um parente, no Ceará. De acordo com a delegada Azambuja, as informações dadas pelo parente que cometeu o delito de favorecimento pessoal, era de que ele (Gutemberg) havia atropelado uma pessoa no Maranhão, e por isso havia fugido. “Esse senhor que estava escondendo ele tem quase 80 anos de idade, e nem sabia direito o que o Gutemberg tinha feito. Ele achava que ele tinha atropelado uma pessoa aqui no Maranhão”, informa a delegada. A Polícia Civil do Ceará está em posse das informações, e decidirá se o senhor responderá pelo delito.

No decorrer das investigações, surgiram informações de que o então suspeito de ter cometido o crime havia ido até o condomínio de Girlene, em Paço do Lumiar. Ele teria sido reconhecido por vizinhos, mesmo estando supostamente numa moto e de capacete. As informações, no entanto, não foram confirmadas pelo Departamento de Feminicídio.

Saiba mais sobre o caso:

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS