TENTATIVA DE FEMINICÍDIO

Homem tentou arrancar os mamilos da vítima, diz delegada

Vítima de crime violento, Girlene foi golpeada com 18 facadas. Investigações apontam seu ex-marido, Gutemberg Matos Bezerra, como o principal suspeito

Reprodução

As investigações em torno do caso de tentativa de assassinato de Girlene Silva de Araújo apontam para um crime com requintes de crueldade. Na última segunda-feira, 26, Gutemberg Matos Bezerra tentou matar a ex-companheira com 18 golpes de faca e ainda tentou arrancar seus seios.

A delegada Viviane Azambuja, do departamento de Feminicídio, responsável pelas investigações, afirmou que todos os depoimentos prestados até agora apontam para Gutemberg como o autor do crime. “Vamos aguardar o resultado dos laudos. Solicitamos uma vistoria na casa da vítima, que foi feita ontem pelos peritos do Icrim [Instituto de Criminalística do Maranhão] e enviamos o instrumento do crime, a faca, recolhida no local do fato, para análise, mas todas as provas reunidas até agora apontam para ele”, disse.

A quantidade de golpes desferidos não deixa dúvidas que a intenção era de matar a vítima. Segundo Viviane: “Ele foi muito cruel. Fez muitas perfurações em todo o corpo da vítima, nas pernas, nos braços e nos seios. Uma testemunha que socorreu ela disse que aparentava que ele tentara arrancar os mamilos ou pelo menos causar uma deformação“.

A vítima, Girlene de Araújo, segue internada no Hospital Municipal Doutor Clementino Moura, o Socorrão II, e seu quadro é estável. Ela passou por duas cirurgias e não corre mais risco de morte.

Até o momento, quatro testemunhas foram ouvidas e a polícia aguarda o resultado dos laudos do Icrim. O principal suspeito, Gutemberg, continua foragido. “O que a gente pede agora é a ajuda da população no sentido de dar informações sobre o paradeiro dele”, conclui a delegada.

A Polícia Civil, por meio do Disque Denúncia divulgou um cartaz com a foto do suspeito na tentativa de pedir a colaboração da população. As informações podem ser dadas pelos telefones: (98) 3223-5800 ou 0300 313 5800. Informações também podem ser enviadas pelo WhatsApp de número (98) 99224-8660. A polícia garante o anonimato da denúncia.

Violência contra a mulher é crime. Denuncie! 

Gutemberg Matos Bezerra (Foto: Reprodução)

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS