DATAFOLHA

Bolsonaro discorda de pesquisa que aponta aumento da reprovação de seu governo

De acordo com a pesquisa, a aprovação do presidente caiu de 33% para 29%

Reprodução

Em pesquisa divulgada pela Datafolha, nesta segunda-feira (02), o governo Bolsonaro teve aumento em sua reprovação de 33% para 38%. O presidente mostrou, em declaração dada na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre a pesquisa, que discorda dos resultados. “Ao Datafolha, alguém acredita no Datafolha? Você (repórter que fez a pergunta) acredita em Papai Noel? Outra pergunta aí”, disse Bolsonaro.

Ainda de acordo com a pesquisa, a aprovação do presidente caiu de 33% para 29%. O levantamento segue a mesma dinâmica de outros estudos divulgados que também apontam para a desaprovação da atual gestão.

Em seu twitter, Bolsonaro usou uma previsão feita pelo Datafolha durante a campanha para presidente do ano passado como exemplo de que o instituto nem sempre acerta.

Foram ouvidas 2.878 pessoas com mais de 16 anos em 175 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
De acordo com o Datafolha, o presidente perdeu apoio entre os brasileiros mais ricos, faixa da população que recebe mais de 10 mínimos. A aprovação (ótimo/bom) nessa faixa caiu de 52% para 37%. Sobre o índice de confiança, 44% dos entrevistaram afirmaram “nunca confiar no presidente”; 36% às vezes; 19% sempre; e 1% não sabe.

Nova Cirurgia

Também nesta segunda (02) o presidente Jair Bolsonaro declarou que pretende fazer sua cirurgia na hérnia o mais rápido possível para que ele esteja apto a viajar a Nova Iorque, no dia 22 de setembro, para discursar na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 24, sobre a Amazônia. 

“Eu vou comparecer, nem que seja de cadeira de rodas, maca, mas eu vou comparecer. Porque eu quero falar sobre a Amazônia. Mostrar para o mundo, com bastante conhecimento, com patriotismo, falar sobre essa área ignorada por tantos governos que me antecederam”, declarou o presidente.

Jair Bolsonaro disse ainda que a Amazônia foi praticamente vendida para o mundo nos governos anteriores e que ele não irá aceitar esmola de país nenhum que tenha como pretexto salvar a Amazônia, mas que na verdade, esteja querendo que ela seja loteada e vendida.

O procedimento de correção de uma hérnia incisional foi marcado para o próximo domingo (08).

O presidente Jair Bolsonaro divulgou, no último domingo (01), a necessidade de passar por essa nova cirurgia. Os médicos do presidente informaram que a operação é necessária em decorrência das intervenções cirúrgicas pelas quais o presidente foi submetido depois que Adélio Bispo de Oliveira deu uma facada na barriga do então candidato do PSL a presidente, no dia 6 de setembro de 2018, em Juiz de Fora (MG).

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias