POLÍTICA

Neto de Sarney, deputado Adriano afirma que houve acordo entre avô e Flávio Dino

Sua fala diz respeito à reunião dos dois políticos – até então, adversários históricos – na semana passada, em Brasília. “Houve um acordo, sim, houve”, assegurou.

Divulgação

Deputado estadual Adriano Sarney. Foto: Reprodução

O deputado Adriano Sarney (PV), neto do ex-presidente José Sarney (MDB), alegou, nesta terça-feira (2), durante sessão na Assembleia Legislativa do Maranhão, que houve acordo entre o avô e o governador Flávio Dino (PCdoB). Sua fala diz respeito à reunião dos dois políticos – até então, adversários históricos – na semana passada, em Brasília.

Leia também: Flávio Dino e José Sarney se reúnem; O que foi dito na conversa entre Dino e Sarney?

O deputado afirma não saber do que o suposto pacto se trata, mas assegurou que é contrário aos termos, sejam lá quais forem. “Se José Sarney e Flávio Dino entraram em algum acordo, esse acordo certamente não me envolveu e não me envolverá, jamais. Não sou eu que vou falar os detalhes do acordo. O povo do Maranhão vai presenciar os detalhes desse acordo, o futuro dirá e todos saberão. Mas que houve um acordo, sim, houve”, reiterou.

O deputado criticou a forma de governo de Dino ao dizer que o pecedebista tem o costume de “demonizar” políticos e, depois, pedir apoio a eles. “Ele fez isso com o João Castelo, com o Aécio Neves, com Jackson e com vários outros. A história política de Flávio Dino é direcionada pelo oportunismo político”, afirmou.

O governador assegura o contrário

Foto: Reprodução

Em entrevista ao Jornal Pequeno na última segunda-feira (1º), Flávio Dino (PCdoB) garantiu que não houve acordo algum. “Houve algum tipo de conversa sobre política do Maranhão? Não. Houve algum tipo de acordo sobre política do Maranhão? Não. Há algum desdobramento clássico sobre eleições vindouras? Também não”, assegurou.

O governador explica a visita a partir de uma tentativa de formar uma “frente mais ampla, para além da esquerda, da defesa da democracia e da Constituição de 1988” para que haja uma defesa dos “extremismos do bolsonarismo”.

Apesar da formação da frente para enfrentar o Governo Federal, Dino afirma que a “junção” dele com o ex-presidente limita-se ao âmbito nacional; e que, no Maranhão, ele e a família Sarney permanecem adversários. “Nacionalmente, já atuamos juntos em alguns momentos, como, por exemplo, no apoio ao ex-presidente Lula”, revelou.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias