POLÍTICA

Flávio Dino e Sarney se reúnem para discutir sobre crises do atual cenário político do país

Após FHC e Lula, José Sarney é o terceiro ex-presidente com quem o governador se encontra nas últimas semanas. Até então, os dois eram adversários históricos

Foto: Reprodução

Na última terça-feira (27), Flávio Dino (PCdoB) se reuniu com o seu adversário histórico, o ex-presidente José Sarney (MDB), para discutir o suposto “perigo” que a democracia brasileira corre em face às crises enfrentadas pelo atual quadro nacional. O encontro aconteceu em Brasília e foi divulgado pelas redes sociais do governador.

“Hoje conversei com o ex-presidente José Sarney sobre quadro nacional. Apresentei a ele a minha avaliação de que a democracia brasileira corre perigo, em face dos graves fatos que estamos assistindo. Já estive com os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique, com a mesma preocupação”, publicou.

Já é o terceiro ex-presidente com quem Dino se reúne nas últimas semanas. No fim de maio, o governador havia se encontrado com Fernando Henrique Cardoso (PSDB); e, no começo de junho, visitou Luis Inácio Lula da Silva (PT) em Curitiba. Nestas duas ocasiões, segundo o pecedebista, a pauta também teria sido a democracia e a situação atual do Brasil, com enfoque em encontrar saídas para seus problemas.

A principal especulação em torno das reuniões é que Flávio Dino esteja, desde já, pavimentando seu caminho em direção à candidatura como presidente da República em 2022. Com o ‘centrão’ ao seu lado no estado – o DEM, que compõe grande parte da sua base -, o governador estaria transformando opositores em aliados para construir um campo ainda mais amplo de apoio, que abrange desde petistas até tucanos. O MDB de José Sarney seria o próximo a ser incluso neste plano.

Toda a campanha de Dino para chegar ao governo do Maranhão teve como principal premissa a queda da família Sarney, que, à época, se encontrava no comando do estado há 50 anos. Por conta disso, o encontro com o ex-presidente nesta terça foi o que mais surpreendeu, já que foi interpretado como uma possível “reconciliação” entre os dois opositores históricos.

Ao mesmo tempo que vem ampliando sua base, o governador do Maranhão tem reforçado ainda mais sua oposição a Jair Bolsonaro (PSL) e sua legenda. A postura contrária às táticas do Governo Federal é justamente onde as perspectivas de Flávio Dino e José Sarney se encontram: em entrevista publicada em maio, o emedebista criticou a governabilidade de Bolsonaro, chegando a afirmar que o presidente estaria “no meio de um furacão” e “colocando todas as cartas na ameaça do caos”.

Além dos líderes citados, Dino já conta com a proximidade com outras personalidades da esquerda, como Fernando Haddad (PT), Guilherme Boulos (PSOL) e Sônia Guajajaras (PSOL). A aliança com Ciro Gomes (PDT) permanece uma incógnita desde que o cearense lançou críticas ao encontro de Flávio com Lula – mas o partido não deixa de compor a base governista no Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias