POLÍTICA

Rubens Jr no páreo da prefeitura de São Luís

Secretário de Estado das Cidades revelou que não confirma e nem desmente que é candidato a prefeito de São Luís. Mas não descarta possibilidade de concorrer em 2020

A frente da  Secretaria de Estado de Cidades (Secid) desde o início do ano, o deputado federal licenciado Rubens Pereira Jr (PC do B) tem como desafio na pasta dar continuidade a projetos estruturantes do governo do estado na área de habitação e mobilidade urbana, reformas de mercados, entre outros. Advogado e mestre em Direito Constitucional, Rubens Pereira Júnior foi reeleito em 2018 deputado federal com 111.584 votos para mais uma legislatura na Câmara Federal, em Brasília.

RUBENS JÚNIOR CONTOU A O IMPARCIAL A MOTIVAÇÃO DE TER DEIXADO A CÂMARA FEDERAL PARA SER SECRETÁRIO DE ESTADO

Em entrevista a O Imparcial, ele fala por que aceitou o convite para ser secretário de estado do governador Flávio Dino; sobre os projetos estruturantes que a Secretaria de Cidades está desenvolvendo e sobre as especulações de seu nome à sucessão municipal para eleição em 2020 para a Prefeitura de São Luís. Confira a entrevista na íntegra.

O IMPARCIAL: Por que o senhor abriu mão de uma cadeira na Câmara Federal para assumir uma pasta do governo Flávio Dino?

RUBENS PEREIRA JR – Este é um dos pouquíssimos casos que a Constituição permite uma licença de um mandato para ocupar o cargo de secretário de estado. Eu me senti lisonjeado com o convite do governador Flávio Dino. A Câmara hoje era a minha zona de conforto. Já estava no quarto mandato no Legislativo. Ter essa experiência no Executivo foi algo que não pensamos duas vezes, e é por esse motivo que nós aceitamos esse desafio em ajudar ainda mais o povo do Maranhão, dessa vez dentro da secretaria.

RUBENS JÚNIOR ESCLARECEU QUE HOUVE ACORDO PARA QUE ASSUMISSE A PASTA

Sem acordos políticos com ninguém

Mas na época disseram que a ideia era fazer o senhor secretário de estado por conta das acomodações políticas que o governador tinha que fazer e arranjar um mandato de deputado federal a Gastão Vieira (PROS), que amargou a segunda suplência na coligação com o PCdoB nas eleições de 2018…

Não houve nenhum tipo de acordo desse nem com o governador, nem com os presidentes de partidos, nem com os candidatos na coligação que elegeu os seis deputados e tiveram alguns suplentes. Mas não houve nenhum tipo de acordo que o governador abriria algum tipo de espaço no seu governo para que os suplentes pudessem assumir. O que muda do mandando do ano passado para esse é que no mandado anterior eu não tinha condições políticas para deixar Brasília. Naquele momento, a base do governador Flávio Dino era apenas seis deputados federais, agora nós já elegemos 12. No momento, tínhamos era apenas um do PC do B, agora já elegemos dois. Por conta dessas novas condições políticas é que nos permitiu que eu compusesse o governo nessa legislatura e não no mandato passado.

A Secid está realizando importantes programas na área de habitação e mobilidade urbana, entre outros. Em que pé estão estes projetos?

Temos três eixos de atuação na Secid. E pensamos em todos eles. O primeiro é habitação. Na habitação urbana vamos entregar mais de 1.600 apartamentos nos próximos seis meses. Na habitação rural estamos construindo casas nas cidades de menor IDH (Índice de Desenvolvimento Urbano) do estado.  Além do programa de regularização fundiária. Muita gente é possuidora de casa, mas não tem o título. ´É um programa para dar direito a quem tem direito.   Estamos também trabalho na área de desenvolvimento urbano realizando praças, calcadas, asfaltamento na cidade de São Luís e outros municípios.

“Eu nem confirmo e nem nego”, diz Rubens Jr

Nos bastidores políticos, muitos afirmam que o senhor tem a preferência do governador Flávio Dino (PCdoB) para a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) no pleito de 2020 na Prefeitura de São Luís. O  senhor será candidato?

Sobre essa especulação eu nem confirmo e nem nego. Quem comenta isso eu nem repreendo e nem me envaideço. Entendo que essa discussão sobre a sucessão municipal deve ficar para 2020. O ano de 2019 é um ano de muito trabalho. Estou absolutamente focado na Secid para garantir programa de habitação, saneamento, desenvolvimento urbano e a garantir a entrega que o governador me pediu. Agora estamos pensando somente na gestão e as discussões sobre eleição, deixaremos para o período oportuno. O PC do B terá um protagonismo na eleição municipal. Hoje nós já estamos na chapa majoritária, o vice-prefeito Júlio Pinheiro é do nosso partido. Nós somos um grande partido liderado pelo governador Flávio Dino, que vem fazendo um bom governo no Maranhão.

Mais seu nome ganhou força no grupo comunista com a desistência de disputa já oficializada pelo secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, que até então tinha o seu nome destacado dentre os pré-candidatos. O que senhor pode esclarecer sobre essa situação…

O governador tomou como método justamente isso. Ele prioriza absolutamente  gestão e prefere deixar para fazer os avanços partidários justamente no ano das eleição. Foi assim nas duas eleições do governador Flávio Dino. Se deu certo para o governo do estado, certamente dá para gente replicar este mesmo modelo nas eleições municipais em 2020.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias