Um detalhe chamou atenção nos últimos programas do candidato ao senado, Weverton Rocha (PDT). Um declínio do presidenciável Ciro Gomes (PDT) de seu programa eletrônico e a aparição do petista Fernando Haddad nas inserções diárias. Em entrevistas, Weverton defendia a candidatura do seu partido, o PDT, mesmo sem deixar de defender a liberdade do ex-presidente.

Teria Weverton (PDT) abandonado Ciro Gomes (PDT) para apoiar o candidato de Lula no Maranhão? Segundo o próprio deputado, não. “Tenho compromisso com meu partido, voto e faço campanha para Ciro Gomes. Já coloquei comerciais de rádio e TV com Ciro e o tenho no meu material.”, respondeu para a reportagem.

Veja Também

A publicação da revista IstoÉ, que tem como manchete “Como Lula montou um QG de campanha na Cadeia”, denuncia que Lula montou um comitê eleitoral de dentro da sala-cela da sede da Polícia Federal, em Curitiba-PR. Via emissários, cooptou apoios políticos e agiu para esvaziar o palanque de Ciro Gomes (PDT). Em Alagoas, conta a publicação, Lula fez Fernando Collor desistir de candidatura ao governo em favor de Renan Filho. A eleição ao governo em um turno, deixaria os políticos livres para fazer campanha para Haddad no segundo turno.

A costura, segundo IstoÉ, também passou pelo Maranhão. Sabendo da estrutura política de Weverton Rocha (PDT) e de que o maranhense seria o principal cabo eleitoral de Ciro Gomes (PDT) no estado, Lula fechou acordo para Weverton abandonar a campanha de Gomes. Rocha nega e diz que o acordo e o dinheiro nunca existiram.

Weverton nega o acordo e coloca no colo da família Sarney a publicação. “A matéria da IstoÉ é uma farsa, mais uma vez montada para tentar interferir nas eleições, porque a família que sempre mandou no Maranhão está vendo que poderá ficar pela primeira vez, desde a redemocratização do Brasil, sem um membro da família no Congresso Nacional.”, responde ao jornal.

Quanto ao dinheiro enviado por emissários do Lula, Weverton contrapõe dizendo que o destino do avião não era São Luís e que o dinheiro nunca existiu. “Eles chegam ao cúmulo de usar o acidente de um avião que ia de Mossoró, no Rio Grande do Norte, para Crateús, no Ceará, (como mostra o relatório da Aeronáutica), bem distante do Maranhão, para inventar essa mentira de um dinheiro que nunca existiu.”, finaliza.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO