CASO EDMILSON

Motorista de Uber assassinado pode não ter sido o alvo

A nova hipótese da polícia é que uposto ‘acerto de contas’ entre passageiro e motociclista pode ter sido causa de morte de Uber

Foi descartada a possibilidade de tentativa de assalto que se especulava em torno da morte do motorista de Uber Edmilson Pimenta no último domingo, enquanto trabalhava. Agora, há duas principais linhas de investigação: a de que os disparos tenham sido efetuados depois de um desentendimento no trânsito e a de um suposto “acerto de contas” entre um passageiro e um motociclista.

A nova hipótese surgiu com a prisão de um dos passageiros na última quinta-feira (10), Sone Anderson Silva, de 20 anos, por um mandado de prisão em aberto por roubo – que foi atingido de raspão na noite em que Edmilson foi morto. Segundo o delegado da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Clarismar Campos, em todas as linhas de investigação, acredita-se inicialmente que o motorista não era o alvo do atirador.

“Muito provavelmente, os alvos seriam os ocupantes do veículo. Não, o motorista”, declara o delegado. “Há a possibilidade de os ocupantes do veículo já conhecerem o motociclista de alguma situação passada e existir um desafeto entre eles. No mais, absolutamente nada demonstra que o motorista era realmente o alvo”. Por ora, está descartada a versão do latrocínio.

Repercussão

A violência sofrida pelo motorista de Uber Edmison Pimenta pôs em pauta a questão da falta de segurança para os motoristas de aplicativo, que fez o grupo se mobilizar e ocupar as ruas de São Luís nos últimos dias 7 e 8 com reivindicações de melhores condições de trabalho.

Em nota, a Empresa Uber se posicionou sobre a morte de seu contribuidor, dizendo que lamentava pelo ocorrido e que estaria à disposição para ajudar nas investigações.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias