CASO DAVI BUGARIN

Caso Davi Bugarin: Laudos serão analisados hoje pela Polícia

O Delegado responsável pelo caso terá acesso aos laudos na tarde desta sexta-feira, 2. De acordo com a Polícia, os depoimentos da família batem 90%

Os laudos que compõem o caso do assassinato do músico e empresário Davi Bugarin, morto a tiros pelo sogro na madrugada do dia 15 de fevereiro, serão analisados na tarde desta sexta-feira, 2, pela Polícia. De acordo com o Delegado Lúcio Reis, da Delegacia de Homicídios, os registros, junto aos depoimentos colhidos, darão norte ao inquérito, que vence próximo dia 15.

O sogro de Davi, Walber Pestana Silva, a namorada e a sogra da vítima já prestaram depoimento. Segundo a Polícia, não há grandes divergências entre as versões. “Eles [os depoimentos] batem 90%. As divergências são aquelas que a gente entende que são naturais. Três pessoas falando do mesmo fato, numa situação de estresse. O básico, que é interessante para a investigação, bate”, informa o Delegado Lúcio Reis.

Sobre os laudos, o Delegado adianta: para contribuir para o inquérito, serão apurados o “corpo de delito dele, o cadavérico, lesões no corpo dele; lesões feitas encontradas no corpo da namorada, da Ingrid; e também o laudo do local que os peritos vão fazer, tentando reproduzir a dinâmica de como aconteceu o crime”, informa. “A conjunção desses laudos com os depoimentos e com outras fontes de informações que forem colhidas é que vão dar uma visão aproximada do que aconteceu ali dentro daquela casa“, conclui o Delegado.

Até que o prazo para finalização do inquérito chegue, novas testemunhas devem ser ouvidas. Caso as diligências não sejam concluídas até lá, a Polícia encaminhará relatório parcial para o Fórum e aguardará posicionamento da Justiça.

Relembre o caso

O coronel reformado da Polícia Militar Walber Pestana da Silva, de 62 anos, assassinou a tiros o namorado da filha, o empresário Davi de Souza Bugarin de Mello. O caso chocou os moradores da Avenida dos Nobres na noite do dia 15 de fevereiro.

De acordo com o depoimento do coronel, que foi liberado após entregar a arma do crime e dar sua versão à Polícia, Davi estaria agredindo a namorada, com quem mantinha relacionamento há pouco mais de um ano. Após tentar apartar a briga, sem sucesso, Walber desferiu um tiro de advertência contra a parede, e mais dois à queima-roupa nas costelas de Davi.

Parentes e amigos do empresário recusam a versão de que Davi estaria agredindo a namorada. Nas redes sociais, durante o último adeus e em manifestação realizada ainda em fevereiro, o clima foi de pesar e incredulidade.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS