SÃO LUÍS

“Ele jamais levantaria a mão para mulher alguma”, diz ex-namorada

Davi Bugarin foi assassinado pelo sogro, coronel reformado da Polícia Militar, após se envolver em briga com atual namorada. Ciúmes teria motivado discussão entre o casal

Reprodução

Um coronel reformado da Polícia Militar, identificado como Walber Pestana da Silva, de 62 anos, assassinou a tiros o namorado da filha, o músico e publicitário, identificado como Davi de Souza Bugarin de Mello. O caso chocou moradores da Avenida dos Nobres, do bairro Parque dos Nobres, na noite desta quinta-feira, 15.

Especulações são muitas em torno do crime, que supostamente teria sido motivado por uma briga entre o casal. O pai, ao presenciar a suposta situação, pegou a arma de sua propriedade e efetuou dois disparos à queima-roupa no músico.

Após os disparos efetuados dentro do imóvel, Walber teria arrastado o corpo da vítima para a calçada, onde o teria abandonado e fugido. As polícias civil e militar estiveram no local momentos depois do crime para levantar as primeiras informações e, até o presente momento, não foi possível localizar o paradeiro do ex-policial.

Segundo o Delegado do plantão central da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Lúcio Reis, as primeiras informações coletadas foram que Davi e a namorada discutiam por conta de ciúmes, quando Walber se envolveu em meio ao casal ao ver a filha sendo agredida . Os dois teriam entrado em luta corporal, momento em que foram efetuados os dois disparos que atingiram Davi. Após isso, Walber saiu do imóvel. Sua esposa e filha prestaram socorro a Davi, porém, este veio à óbito no hospital. A agressão ainda não foi confirmada e polícia já instaurou inquérito para investigar o crime. O coronel Walber poderá se apresentar ainda hoje na sede da SHPP.

Quem era Davi Bugarin?

Davi Bugarin era músico, publicitário e sócio-proprietário da casa de festas Cidade Velha, no Centro Histórico de São Luís. Ele morava em bairro vizinho ao da namorada, no Parque Pindorama, e deixa dois filhos.

“Ele era uma pessoa muito tranquila. Nunca vi ele sendo agressivo com ninguém, pelo contrário, era muito da paz”, disse uma amiga que preferiu não ser identificada. “Ele tinha reatado o relacionamento com a namorada fazia pouco tempo, mas ele seria incapaz de bater nela”, afirma. Os amigos saíram em defesa do publicitário nas redes sociais, prestando solidariedade à família e pedindo justiça pelo acontecido.

“Nunca fui agredida por Davi, e acredito que ele jamais levantaria a mão para mulher alguma”, disse uma ex-namorada em suas redes sociais.

Moradores do Parque Pindorama também ficaram comovidos com o crime. “Foi um crime muito bárbaro. O menino [Davi] foi criado aqui no Pindorama, conheço ele desde criança, é muito amigo do meu neto. Nunca vi ele sendo violento com ninguém, a família dele é muito boa. Eu vejo ele sempre, se ele fosse uma pessoa de mau caráter a gente saberia”, afirmou a dona Maria José, amiga da família.

Os vizinhos do militar comentam que o casal já tinha um relacionamento por dois anos, mas nunca presenciaram brigas. “Eu não sei o que aconteceu, porque o seu Walber parecia ser uma pessoa muito centrada. Nunca vi ele armado por aqui. Não tem como julgar. O menino era novo, bonito, a menina também deve ficar muito abalada. A gente pensa nos dois lados, né?”, disse uma vizinha que se identificou por Wanda.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS