Prisão

Agressor tem prisão preventiva decretada pela Justiça

A idosa de 84 anos foi encaminhada ao IML na manhã de hoje para fazer o corpo de delito; Roberto Elísio está sendo interrogado pela delegada Igliana Freitas

Foto: Esaú Araújo

Foi preso na manhã desta sexta-feira (26) o bacharel em direito Roberto Elísio Coutinho de Freitas. Ele foi flagrado agredindo a mãe, Joseth Coutinho Martins de Freitas (84) em vídeos que circulam nas redes desde a noite desta quinta-feira (25). Roberto foi capturado na Raposa, região metropolitana da capital, e encaminhado à sede da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), onde foi interrogado pela delegada Igliana Freitas. A juíza Oriana Gomes, da 8ª Vara Criminal de São Luís, decretou a prisão preventiva de Roberto, que foi direcionado ao centro de triagem em Pedrinhas.

Roberto Elísio prestou depoimento à imprensa e autoridades nesta manhã. Na casa da vítima, foram encontradas munições calibre 38 e os documentos de uma pistola, que não foi encontrada pelos policiais. “Perguntamos ao autor do crime de onde viria as munições calibre 38. Segundo ele, seria de um amigo”, disse o superintendente da Polícia Civil da capital, Armando Pacheco. Ainda foi encontrado no local um VDR com imagens internas, que será analisado pela polícia.

De acordo com Roberto, os vídeos foram gravados no início do ano pela sua esposa. Ele afirma que a mulher já tinha o alertado da necessidade de tratamentos. “Só que eu não busquei, fiquei por isso e aguardei o tempo passar”. O autor do crime afirma que tem esquizofrenia e que a mãe foi diagnosticada ano passado com Alzheimer. “O médico dela ainda mandou eu procurar um tratamento psicológico para lidar com a doença dela, pois pessoas como ela tem picos diferente. Mas não procurei por desleixo meu. As pessoas estão me condenando injustamente, eu também sou doente”.

Perguntado por O Imparcial quando o diagnóstico foi feito e por qual profissional, Roberto declarou que descobriu a doença há mais de três anos, mas nunca buscou tratamento. “O médico não mora mais aqui, ele foi pra Fortaleza e não sei o nome dele”, disse.

A senhora, Joseth Coutinha é aposentada e ex professora de história. Às 09:40 da manhã a senhora chegou ao Instituto Médico Legal (IML) acompanhando de familiares e assistentes sociais para fazer o corpo de delito. Joseth ficará sob cuidados do neto, filho de Roberto.

Decisão

A Juíza Oriana Gomes, titular da 8ª Vara Criminal da capital – unidade judicial competente para julgar ações que envolvem idosos – decretou nesta sexta-feira (26) a prisão preventiva de Roberto Elísio Coutinho de Freitas, acusado de agredir física e psicologicamente sua mãe, Joseth Coutinho Martins de Freitas, de 80 anos de idade. A magistrada também determinou o afastamento do acusado do lar e proibiu que ele mantenha distância mínima da idosa de 1.000 metros.

A decisão da juíza atende representação da Delegacia de Proteção ao Idoso, que pugnou pela prisão preventiva do acusado e por medidas protetivas, visando à proibição de aproximação e de manter contato com a ofendida e com pessoas que moram com ela, por qualquer meio de comunicação, com vistas a preservar sua integridade física, moral e psicológica.

Em sua decisão de mandar prender o representado, a juíza Oriana Gomes assinala que a medida, apesar de extrema, se faz necessária “para que a idosa volte a ter sua tranquilidade restaurada”, e também para que ele não venha a dificultar as diligências, com vistas a esclarecer os fatos delituosos.

No Termo de Declaração anexado ao Inquérito, o neto da idosa, Roberto Elízio Coutinho de Freitas Filho, filho do acusado, relata que sua avô, portadora de Alzheimer, vem sofrendo maus tratos por parte do representado (seu pai), “que a agride tanto verbalmente como fisicamente”, puxando a vítima pelo braço, “dando-lhe empurrões e comida à força”, além de ameaçá-la de internação.

A magistrada assinala que, pela provas produzidas pela autoridade policial e considerando a gravidade dos fatos descritos, ficou convencida de que o deferimento das medidas de afastamento do lar, domicílio ou local de convivência e de proibição de contato com a ofendida, de seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação, “são as que melhor se apresentam no momento”.

 

ENTENDA O CASO

Na noite desta quinta-feira (25), vídeos de um homem, até então não identificado, começaram a circular nas redes. Nas gravações, foram flagradas agressões físicas e verbais e ameaças contra uma idosa de 84 anos.

O homem foi identificado, posteriormente, como Roberto Elísio Coutinho. Ele proferiu ameaças como: “se tu abrir a boca de novo eu vou dar na tua cara e dou na tua cabeça pra tu desmaiar” e “nem pra tu morrer logo, né?”. Roberto ainda aparece no vídeo ameaçando a mãe com um espremedor de alho e uma pequena barra de ferro.

MOSTRAR MAIS