FÉ E DEVOÇÃO

Definida as datas da Festa do Divino em Alcântara

Organização espera 50 mil visitantes nos 12 dias de festa na cidade de Alcântara. Evento conta com uma programação com procissões, missas e apresentações culturais

Reprodução

Uma das principais celebrações religiosas do país, a tradicional Festa do Divino da cidade de Alcântara prepara os últimos detalhes para a realização que este ano acontece entre os dias 29 de maio e 09 de junho. A festa do Divino Espírito Santo é um ritual do Catolicismo Popular marcado pela presença significativa de mulheres – as caixeiras – que tocam instrumentos musicais denominados caixas do Divino. Além de procissões e missas, o evento tem música, dança, queima de fogos e distribuição de licores e doces de espécie, típico da região. O ponto alto acontece no final de semana do Domingo de Pentecostes.

Com investimentos de R$ 300 mil, a parceria entre o governo do estado e a Prefeitura de Alcântara espera 50 mil visitantes nos 12 dias de festa, que conta com participação ativa da população local. “Sem o apoio do governo do estado, a realização da festa seria impossível. É uma celebração tradicional com muitas dimensões e que envolve toda a população, com custos altos para a preparação nos diversos pontos em que as celebrações acontecem. Agradecemos muito a sensibilidade do Estado para conseguirmos realizar esse evento”, diz a secretária municipal de  Cultura de Alcântara, Marcelina Serrão.

Além do apoio financeiro, o governo vai garantir reforço na Segurança Pública e suporte para a parte cultural do evento com ampla agenda de shows no Centro Histórico. “Temos apoiado firmemente a realização dessa importante festa no calendário religioso e cultural do Estado. Por determinação do governador Flávio Dino, estamos fortalecendo a realização do evento, valorizando cada vez mais a tradição local”, destacou o secretário de Estado de Cultura, Diego Galdino.

Tradição e ancestralidade

O culto ao Divino Espírito Santo no Maranhão provavelmente teve início com os colonos açorianos e seus descendentes, que desde o início do século XVIII começaram a habitar a região. Em meados do século XIX, a tradição da festa do Divino estava firmemente enraizada entre a população da cidade de Alcântara, de onde teria se espalhado para o resto do Maranhão, tornando-se muito popular entre as diversas camadas da sociedade, especialmente as mais pobres. Essa popularidade entre os setores mais humildes da população maranhense, inclusive os escravos, talvez possa ser explicada pela ênfase não só na fartura, mas também na fraternidade e na igualdade, que o culto ao Divino costuma apresentar.

Hoje, a devoção ao Divino é uma das mais importantes práticas religiosas do Maranhão e cada uma das muitas festas existentes no Estado mobiliza várias centenas de pessoas. Embora a festa do Divino possa envolver gente de todos os extratos sociais, quase todos os participantes são pessoas humildes, de baixo poder aquisitivo, que se esforçam para produzir uma festa rica e luxuosa, onde não podem faltar as refeições fartas, a decoração requintada e caras vestimentas para os impérios. Por se tratar de uma festa longa, custosa e cheia de detalhes, sua preparação e realização levam vários meses e envolvem muita gente, construindo assim uma grande rede de relações entre todos os participantes.

Em São Luís e em diversas outras cidades maranhenses, a Festa do Divino é estreitamente identificada com as mulheres, e em especial com as mulheres negras ligadas às religiões afro-brasileiras, como o tambor de mina. Esse fato distingue a festa no Maranhão das festas do Divino realizadas em outras regiões do país e lhe dá uma feição bem particular. Com exceção de algumas festas como a de Alcântara, organizada com o apoio de autoridades locais e sem vínculos com terreiros, a grande maioria das Festas do Divino no Maranhão é realizada em casas de culto, como a Casa das Minas e a Casa de Nagô, onde a presença feminina é dominante.

Mais embarcações e cais reformado

Para garantir que os milhares de turistas tenham acesso à cidade, o governo do estado e a prefeitura vão garantir junto às empresas que prestam serviço de transporte para a cidade o fornecimento de embarcações extras durante o período da festa. Em janeiro, o governo entregou à população o Cais da Praia Grande, em São Luís, completamente revitalizado com serviços de melhoria dos sistemas elétrico e hidráulico, recuperação dos boxes, área de vivência, lanchonetes, banheiros, teto e piso, além da instalação de uma cerca de delimitação do perímetro, para garantir a segurança de usuários e preservação do patrimônio.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias