Ciclone

Brasil envia ajuda humanitária para vítimas em Moçambique

O chefe da diplomacia brasileira, Ernesto Araújo disse que já mobilizaram 100 mil euros a favor do desastre.

Foto: AFP

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o governo brasileiro enviará dois aviões com uma equipe de 40 especialistas em salvamento para ajudar as vítimas, e também seis kits de medicamentos e insumos básicos de saúde que poderá atender nove mil pessoas por até um mês.

O Ciclone Idai que atingiu o país de Moçambique em 14 de março deixou mais de 700 mortos e mais de 120 mil pessoas desalojadas, correndo riscos de epidemias.

A distribuição de comidas está chegando através de helicópteros, pois estão ilhados. A ONU já havia alertado os riscos de epidemias e após a passagem do ciclone no país africano, e já foram anunciados cinco casos de cólera e outras doenças transmitidas pela água.

O secretário da ONU, Antônio Guterres alertou que esse ciclone era um alarme em relação aos perigos das alterações climáticas. Pedindo ajuda internacional humanitária e financeira para as vítimas.

COMO AJUDAR

  • Central de Apoio, criada por entidades de Moçambique, aceitando doações de transferência internacional e presencialmente em alguns endereços através do site.
  • A Junta de Missões Mundiais conta com uma equipe que atua na região, aceitando doações em dinheiro pelo seu site.
  • Unicef, agência da ONU para a infância, ajuda algumas das 600 mil crianças desabrigadas pela passagem do ciclone. Informações neste site.
  • A organização Médicos sem Fronteiras também recebe doações para situações emergenciais como essa. Informações no site.
  • ActionAid leva suprimentos para os sobreviventes do desastre. ​Site.
VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias