BASTIDORES

Tabela Periódica Humana: um projeto feito de gente e histórias

Neste ano comemora-se o sesquicentenário da Tabela Periódica, haja vista a publicação da primeira Lei Periódica dos Elementos Químicos anunciada pelo químico russo Dmitri Mendeleev em 1869. Por esse motivo, a Unesco proclamou o ano de 2019 como o Ano Internacional da Tabela Periódica, objetivando discutir a importância dessa Tabela como uma das conquistas mais […]

Neste ano comemora-se o sesquicentenário da Tabela Periódica, haja vista a publicação da primeira Lei Periódica dos Elementos Químicos anunciada pelo químico russo Dmitri Mendeleev em 1869. Por esse motivo, a Unesco proclamou o ano de 2019 como o Ano Internacional da Tabela Periódica, objetivando discutir a importância dessa Tabela como uma das conquistas mais importantes e influentes da ciência moderna, não apenas da química, mas também da física, da biologia e de outras áreas das ciências puras, assim como suscitar reflexões no mundo inteiro acerca da participação das mulheres na pesquisa científica, dos impactos sócio-econômico-ambientais dessas pesquisas.

Também neste ano, comemora-se, a igualmente secular, educação profissional brasileira, iniciada pelo Decreto 7.566, de 23 de setembro de 1909, o qual criou as “Escolas de Aprendizes Artífices” nas 19 capitais brasileiras, incluindo a do Maranhão, que se transformaria em “Liceu Industrial do Maranhão” (1937), “Escola Técnica de São Luís” (1942), “Escola Técnica Federal do Maranhão” (1965), “Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão – Cefet-MA” (1989), até o atual Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, criado em 2008.

Ainda no campo dos festejos, destaca-se que, desde 1976, se comemora no Brasil o dia do Químico em 18 de junho, data em que foi sancionada a Lei nº 2.800/1956, que dispõe sobre o exercício da profissão de Química, e criou o Conselho Federal de Química e os Conselhos Regionais de Química.

Em meio a todas essas comemorações, por ocasião do I Cienciarte, evento que ocorre dentro da VIII Semana de Química do IFMA, a professora Regina Muniz, do IFMA-Monte Castelo, desenvolveu um projeto no qual foi organizada uma tabela periódica humana, em que cada elemento químico foi apresentado por uma pessoa. O projeto foi fotografado pelo programador visual Rondson Vasconcelos e o publicitário Jamerson Belfort o transformou em mais uma de suas obras incríveis, fazendo jus ao que escreveu o filósofo e historiador estadunidense Will Durant: “toda ciência começa como filosofia e termina em arte”..

A foto poderia ser encarada como uma obra de arte, ou como uma instalação artística, ou como uma peça publicitária, ou como um recurso didático, ou como uma homenagem à ciência ou à nossa querida Ilha do Amor, ou como todas essas opções juntas.

Entretanto, o que vejo nessa foto vai muito além disso. Vejo professores remanescentes da antiga Escola Técnica Federal do Maranhão – que, inclusive, foram estudantes da mesma – com quase cinquenta anos de convívio com a Química e com a centenária instituição. 

Mas também vejo professores que foram aprovados em concurso para o antigo Cefet-MA, que desde então colaboram com a formação de profissionais técnicos de nível médio, de graduados e pós graduados, assim como para o desenvolvimento de nosso estado. Também vejo na foto profissionais concursados para o IFMA, muitos deles tendo sido alunos de seus atuais colegas de instituição, o que mostra grande interação de diferentes gerações que trabalham para o crescimento intelectual de jovens maranhenses.

Por falar em jovens, verificamos na mesma foto a presença de muitos adolescentes que também buscam seu sucesso pessoal e profissional na Química, como estudantes do Curso Técnico em Química Integrado com o Ensino médio, além de jovens estudantes do curso de Licenciatura em Química do Campus, portanto futuros professores dessa tão importante ciência, a Química. Além do mais, verificamos na belíssima foto estudantes do Mestrado em Química que buscam sua qualificação em nível de pós-graduação na Instituição.

Diante de tudo isso, podemos visualizar no projeto da professora Regina – que se eterniza na bela obra de Jamerson –, uma grande e merecida homenagem da comunidade do Departamento Acadêmico de Química aos 150 anos da imprescindível Tabela Periódica, sem perder de vista a importância de uma instituição como o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), também imprescindível para a formação de bons profissionais comprometidos com o desenvolvimento do Maranhão e do Brasil.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias