PRISÃO

“Servidores já haviam sido afastados”, diz Semurh sobre prisão de fiscais da Blitz Urbana

Três agentes da Blitz Urbana tiveram mandado de prisão preventiva cumprido na manhã desta terça-feira, 6

Foto: Honório Moreira / O Imparcial

Três fiscais da Blitz Urbana foram presos na manhã desta terça-feira, 6, e direcionados à Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor), no São Francisco. Júlio César Coelho, Rui de Sá Dias e Otília Silva Passos são suspeitos de receber propinas durante fiscalizações de obras.

Em nota, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) informou que os servidores já haviam sido afastados das atividades assim que a secretaria tomou conhecimento da denúncia, e que os três respondem a Procedimento Administrativo Disciplinar.

De acordo com a secretaria, o caso foi encaminhado à Delegacia de Crimes Funcionais e para o Ministério Público Estadual (MPE-MA) para apuração das denúncias. “A Secretaria ressalta que repudia atos que ferem a moralidade da administração, reforçando o compromisso ético da gestão com a população e de combater danos causados por agentes públicos”, diz a nota.

Leia a nota na íntegra:

Sobre a prisão dos técnicos de fiscalização da Blitz Urbana, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) esclarece que os três servidores já haviam sido afastados das suas atividades tão logo a Secretaria tomou conhecimento da denúncia, e que respondem a Procedimento Administrativo Disciplinar. A Semurh informa ainda que, além das medidas internas, encaminhou o caso para a Delegacia de Crimes Funcionais e para o Ministério Público Estadual (MPE-MA) para a apuração das denúncias, adotando assim as medidas necessárias e agindo prontamente em defesa do patrimônio público. A Secretaria ressalta que repudia atos que ferem a moralidade da administração, reforçando o compromisso ético da gestão com a população e de combater danos causados por agentes públicos.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS