CORONAVÍRUS

No Maranhão

6407
88214
67541
2153
SAÚDE

Condromalácia patelar: você conhece a principal causa de dor nos joelhos?

A grande maioria dos pacientes com condromalácia patelar devem ser tratados sem cirurgia

Reprodução

Condromalácia patelar, Síndrome patelofemoral ou síndrome da dor femoropatelar é um termo usado para descrever a dor decorrente do aumento da pressão entre a patela, ou rótula, e o fêmur, o osso da coxa. Esta é a causa mais comum de dor no joelho e a segunda causa mais frequente que leva pacientes aos consultórios de ortopedia.

No início do problema, a cartilagem pode estar completamente normal. Mas, com a persistência da sobrecarga, as lesões da cartilagem podem aparecer de forma secundária e acabam por contribuir para a dor.

A dor da condromalácia patelar tende a piorar ao se ajoelhar, agachar, subir ou descer escadas e ao ficar muito tempo sentado, como em uma viagem, por exemplo.

Causas e fatores de risco

Entre os principais fatores de risco para a condromalácia, devemos considerar:

  • Uso excessivo do joelho: atividades que envolvem correr ou pular exercem uma pressão repetitiva sobre a articulação do joelho, o que pode causar dor na patela.
  • Desequilíbrio muscular: quando certos músculos, como os do quadril e do joelho, são fracos, eles não conseguem manter as partes adjacentes do corpo, incluindo a rótula, alinhadas adequadamente. Isso pode levar a sobrecarga e dor.
  • Trauma: Lesões na rótula ou cirurgia no joelho podem aumentar o risco de sofrer com a condromalácia patelar.

Diagnóstico

O diagnóstico da condromalácia deve ser baseado na história clínica e exame físico realizado pelo ortopedista especialista em joelho. Exames como a ressonância magnética ajudam na avaliação das condições da cartilagem. Deve-se, porém, ter cuidado com a interpretação do exame: alguns pacientes apresentam uma cartilagem bastante comprometida e quase não apresentam dor; outros, apresentam uma cartilagem quase normal e dor intensa. Os exames, desta forma, não devem ser vistos de forma isolada, sem uma adequada avaliação do joelho pelo médico.

Tratamento

A grande maioria dos pacientes com condromalácia patelar devem ser tratados sem cirurgia. O tratamento deve envolver a correção dos fatores biomecânicos que estão levando à sobrecarga no joelho, como a fraqueza e o desequilíbrio muscular ou os erros de movimento. Não existe nenhum programa que seja eficaz para todos os pacientes, devendo este ser montado de forma individualizada de acordo com o que se acredita que esteja contribuindo para o aumento na pressão de contato entre a patela e a tróclea.

Alguns pacientes podem exigir um trabalho mais voltado para o fortalecimento do quadríceps. Outros podem ter excelente força no quadríceps, mas estruturas laterais excessivamente rígidas, com pouca flexibilidade no joelho. Outros podem ter uma deficiência mais significativa na musculatura estabilizadora do quadril, de forma que não conseguem manter um bom alinhamento do membro.

Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios poderão ser indicados nas fases de piora da dor. Medicações ditas “condroprotetoras”, como a glicosamina ou os colágenos, podem contribuir para a melhora da dor, ainda que não sejam capazes de impedir a evolução das lesões da cartilagem articular, como muitas vezes sugerido pelos fabricantes e vendedores. As infiltrações com ácido hialurônico ajudam na “lubrificação” da articulação e, também, podem proporcionar algum alívio da dor. Qualquer tratamento medicamentoso, porém, deve ser considerado como adjuvante, e não como o foco principal do tratamento da condromalácia patelar.

Dr. João Hollanda

O dr. João Hollandaé médico ortopedista especialista em cirurgia do joelho e médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias