Respostas

Senadores maranhenses se posicionam sobre declaração de Bolsonaro

Eliziane Gama e Weverton Rocha criticaram fala do presidente enquanto Roberto Rocha defendeu posição de Bolsonaro

Reprodução

Após a declaração polêmica do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), os três senadores maranhenses se manifestaram nas redes sociais de forma diversa. Sem perceber que estava sendo gravado, o presidente Jair Bolsonaro afirmou; “O governador de Paraíba é pior que esse do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

A primeira a falar foi Eliziane Gama (Cidadania) classificou o episódio como “xenofobia”. “Xenofobia. Absurdo, a ainda mais vindo do presidente da República. Temos o melhor governador do Brasil”, escreveu.

“Como maranhense, como mãe nascida e criada no MA e como parlamentar eleita pelo meu Estado, não aceitarei de forma alguma que nosso Estado seja prejudicado por “estultice ideológica”. É hora de o presidente descer do palanque, parar de gerar crises em série e governar o país”, completou.

Weverton Rocha (PDT), por sua vez, criticou a relação entre Bolsonaro e os estados, defendendo a forma institucional de fazê-lo. “Essa atitude é um desrespeito ao povo brasileiro. Flávio Dino e João Azevedo Lins são governadores eleitos e representam seus estados. O presidente deveria manter uma relação institucional e republicana com os governadores. independente de sua ideologia. Se não o faz, erra feio”, disse.

Roberto Rocha (PSDB) foi o único a sair em defesa de Bolsonaro defendendo que o governador Flávio Dino tem atacado o presidente nos últimos seis meses e a reação foi apenas uma resposta. “Flávio Dino, tentando ocupar espaço na extrema esquerda, achando que o PT acabou, agride o presidente todo dia o dia inteiro, durante 6 meses. Claro, torce pelo quanto pior melhor. Aí Bolsonaro responde, é retaliação, é perseguição, é anti-republicano. Alguém pode explicar???”, disse Roberto Rocha.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias