INVESTIGAÇÕES

Secretário e Comandante da PM esclarecem memorandos

Segundo o governo, o documento, que determinava detalhamento de lideranças de oposição, foi enviado sem conhecimento do Comando da Polícia Militar do Maranhão

O Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela e o Comandante Geral da Polícia Militar, Jorge Luongo, participaram de coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 25, para esclarecer a questão do memorando circular divulgado na última semana, que determina o repasse de informações sobre lideranças de oposição ao governo local ou do Estado.

Segundo o governo, o documento foi enviado sem conhecimento do Comando da PM. Durante a coletiva, a Sindicância Investigatória instaurada pela corporação foi detalhada. De acordo com Jefferson Portela, todos os envolvidos já foram exonerados de cargos de comando. “Nós somos uma estrutura baseada em disciplina e hierarquia. Nós não somos uma regência sem ordem”, pontuou o secretário.

O Comandante-Geral da Polícia Militar, Coronel Jorge Luongo, reiterou o desconhecimento do Comando Geral da PM acerca do documento, e afirmou que os efeitos do memorando foram revogados assim que foi tomado conhecimento do ofício, ainda no dia 19. Com as investigações, pretende-se identificar ainda de onde partiu a determinação, e as motivações. “A gente reafirma que se trata de um ato ilegal, que foi tomado à revelia do comando da instituição, e está sobre investigação”, informou.

“Tomei conhecimento e a minha condição foi justamente de contraponto. Não teve um sentimento qualquer sobre isso. Eu tive que preservar a instituição porque um servidor subalterno errou“, completou Luongo, em referência à anulação do documento um dia após ter tomado conhecimento deste.

A PM segue investigando o ocorrido. A Sindicância é presidida pelo Coronel Antônio Roberto dos Santos Filho, subchefe do Estado Maior da PMMA.

Informações de praxe

Segundo o Comandante Luongo, é de praxe a realização de levantamento com a proximidade do período eleitoral, em concordância aos órgãos e instituições responsáveis pelas eleições. “Todo ano eleitoral é feito esse documento. Essas informações são levantadas, não dessa forma [dos memorandos divulgados], pra organizar o efetivo para as eleições“, informa. De acordo com Luongo, a medida serve para deslocar tropas para as áreas de maior risco, “sabendo que a gente precisa fazer isso, porque são 217 municípios movimentando muita gente“, completou.

Assista a transmissão feita ao vivo:

Estamos na Secretaria de Segurança Pública onde o secretário Jefferson Portela presta esclarecimentos

Posted by O Imparcial on Wednesday, April 25, 2018

Veja também:

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS