CORONAVÍRUS

No Maranhão

6565
92939
72052
2324
RAPOSA

Pescadores desaparecidos no Maranhão podem estar à deriva em alto mar, diz tenente-coronel

Além do Corpo de Bombeiros e CTA, também vão participar das buscas equipes do Corpo de Bombeiros Marítimos e a Marinha

Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (8) equipes do Corpo de Bombeiros e Centro Tático Aéreo (CTA), deram continuidade as buscas pelos 3 pescadores identificados como Francisco José Pereira de Araújo, de 25 anos, Lucas dos Santos, de 18 anos e André Veras Silva, de 37 anos. Eles estão desaparecidos há 13 dias quando saíram do Porto do Braga para pescar, no município da Raposa, Região Metropolitana.

De acordo com informações do chefe de departamento de resgate do CTA, tenente-coronel Alcir, as buscas hoje vão ser estendidas a 80 milhas, onde a equipe se deslocará para alto mar. Até esta terça, as buscas estavam sendo realizadas a uma distância de 25 milhas.

“Estamos trabalhando com a possibilidade do barco ter tido algum problema, indo para alto mar, ficando à deriva”, disse o tenente-coronel

Leia também:

Além do Corpo de Bombeiros e CTA, também vão participar das buscas equipes do Corpo de Bombeiros Marítimos e a Marinha.

De acordo com o Major do Corpo de Bombeiros, José Lisboa, as equipes estão trabalhando com todas as possibilidades, o que inclui que os pescadores podem ter naufragado, ficado à deriva ou até mesmo terem se direcionado para uma das ilhotas que ficam nas proximidades.

Em uma rede social, o Corpo de Bombeiros divulgou imagens do sobrevoo realizado na manhã desta quarta-feira para tentar localizar os três pescadores. Além disso, as equipes usaram embarcações na tentativa de detectar qualquer vestígio dos desaparecidos. Toda a extensa área está sendo mapeada, porém, até o momento nada foi encontrado.

Entenda

Desde o último dia 25 de junho, três pescadores desapareceram após terem saído do Porto de Braga, no município de Raposa, região metropolitana de São Luís, com destino ao Farol de Santana, no município de Humberto de Campos, onde eram acostumados a pescar.

Segundo as primeiras informações, a viagem teria duração 5 dias, mas caso a pesca fosse boa, o trio poderia estender os dias. Por isso, alguns familiares demoraram a registrar o desaparecimento dos pescadores, que foi feito somente no último domingo (5).

Desde então, o Corpo de Bombeiros e o Centro Tático Aéreo (CTA) foram acionados para tentar localizar os três homens, mas, até agora, somente parte do material das vítimas como caixas de isopor, redes de pesca, bandeiras e sinalizadores do barco nas localidades Sinibutiu e Cararaím foram encontrados.

Ontem (7), as equipes se reuniram com familiares e pescadores da região para descobrirem mais detalhes sobre como funcionam as correntes marítimas e assim concentrar as buscas em um local mais exato onde possivelmente os pescadores desapareceram.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias