FUTEBOL MARANHENSE

Saiba sobre os três acessos do Sampaio Corrêa

Tricolor busca diante do Volta Redonda subir de divisão no Campeonato Brasileiro pela quarta vez em sua história, recorde entre equipes maranhenses

Foto: Reprodução

Com a expectativa de um Castelão lotado, o Sampaio Côrrea enfrenta o Volta Redonda amanhã buscando uma vaga na semifinal da Série C e, por consequência, uma vaga na Série B de 2018. Caso consiga o feito, será o quarto acesso do Tricolor no Campeonato Brasileiro.

Apesar de ter sido o líder de pontos do Grupo A, o Sampaio entrou em campo no Estádio Raulino de Oliveira para o jogo de ida das quartas de final sem o favoritismo. Mesmo assim, o Tricolor conquistou uma importante vitória por 1 a 0 com gol do volante Zaquel.

Agora, para retornar à Série B, onde esteve entre 2014 e 2016, o time do técnico Francisco Diá precisa apenas de um empate jogando diante de sua apaixonada torcida em São Luís. Para o torcedor tricolor, vale a pena relembrar as campanhas anteriores que renderam acesso para o Sampaio no Brasileiro.

1997

-Antes de 1997, o Sampaio Côrrea vivia uma situação complicada amargando um jejum de quatro anos sem título no Campeonato Maranhense, mas a campanha na Série C de 1996 deixou os tricolores animados para o ano. Na ocasião, a equipe maranhense ficou na 7ª posição da competição, sendo eliminada nas quartas de final para o Porto-PE no critério de gols qualificados.

-Na Série C de 1997, o Sampaio conquistou 16 pontos (cinco vitórias e um empate) em um grupo que continha Santa Rosa-PA, River-PI e 4 de Julho-PI. Nos três mata-matas seguintes, foram ficando pelo caminho Quixadá-CE, Santa Rosa-PA e Ferroviário-CE, sem o Tricolor perder nenhuma partida nos confrontos.

-Pelo regulamento daquele ano, apenas duas equipes seriam promovidas para a Série B e os classificados seriam decididos em um quadrangular com Sampaio, Juventus-SP, Francana-SP e Tupi-MG.

-Com uma campanha de duas vitórias e três empates, o Sampaio chegou ao jogo decisivo contra a Francana no Castelão precisando de um triunfo para garantir o acesso e o título invicto. A vitória por 3 a 1 com gols de Marcelo Baron (artilheiro da competição), Jó e Cal consagrou a grande campanha do Tubarão.
A experiência do Sampaio na Série B, por sua vez, durou apenas cinco temporadas, culminando com o rebaixamento em 2002.

2012

Após cinco participações na Série C entre 2003 e 2009, e outras duas na Série D em 2010 e 2011, o Sampaio, enfim, fez uma boa campanha em 2012 e terminou a competição com o título invicto, assim como em 1997.

-Comandado por uma espinha dorsal que tinha Arlindo Maracanã, Eloir, Pimentinha e Célio Codó, o Tricolor passou com aproveitamento de 100% em um grupo que tinha Mixto-MT, Comercial-PI, Araguaína-TO e Santos-AP. Nas oitavas de final, o adversário era o Vilhena-ES e, após um empate por 2 a 2 fora de casa, o Sampaio goleou por 4 a 1 no Castelão, em um show de Pimentinha, e passou para o confronto decisivo contra o Mixto.

-Após dois empates por 1 a 1 e 0 a 0, o Sampaio conseguiu se classificar com o gol fora marcado em Cuiabá e conquistou o primeiro acesso da Série D para a Série C de sua história. nApós a subida, o Tricolor ainda passou por Baraúnas-RN e Crac-GO para conquistar o seu terceiro título nacional, segundo invicto.

2013

-Embalado pelo título da Série D no ano anterior, o Sampaio manteve a base de sua equipe buscando o acesso pelo segundo ano consecutivo. Em 2013, a Série C teve um imbróglio jurídico e acabou contando com 11 clubes no Grupo A pela obrigatoriedade de inscrição do Rio Branco-AC.

-Com uma campanha cheia de altos e baixos, o Tricolor chegou à última rodada da fase de grupos na segunda posição, mas precisando de um ponto contra o perigoso Fortaleza na capital cearense. Após estar perdendo por 2 a 0, o Sampaio conseguiu um empate aos 47 minutos do segundo tempo com o zagueiro Paulo Sérgio que garantiu a classificação. O confronto do acesso foi com o Macaé-RJ, um adversário carioca como o atual rival Volta Redonda.

-O primeiro jogo disputado em São Luís terminou pelo placar de 5 a 3 e, na chuva de gols, deixou a sensação de gosto amargo na boca do torcedor maranhense, pois o acesso poderia ter sido definido caso o Tricolor não levasse dois gols no fim. Mas um empate por 1 a 1 no Estádio Cláudio Moacyr sacramentou a subida do Tricolor pela terceira vez em sua história e o retorno à Série B após 12 anos.

-Na semifinal, o Sampaio passou pelo Vila Nova-GO com uma vitória por 2 a 1 no Castelão, após empate sem gols em Goiânia. Na finalíssima contra o Santa Cruz-PE, o Tricolor deixou escapar o quarto título nacional com um empate por 0 a 0 em São Luís e uma derrota em Recife por 2 a 1.