CRIME

Polícia identifica e caça ‘assassinos da Cemar’

Investigadores já têm os nomes dos dois principais suspeitos de terem cometido o duplo homicídio de João Victor Melo e Francivaldo Carvalho, enquanto prestavam serviço para a companhia energética na última terça-feira (15)

As investigações acerca do assassinato dos dois colaboradores da Cemar na manhã da última terça-feira (15) enquanto exerciam seu trabalho no Sítio Natureza, no Paço do Lumiar, já identificaram os dois principais suspeitos do crime. O caso está a sendo apurado na Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

Segundo o Coronel Aritanã, comandante do II setor da PMMA, um deles foi identificado como Pablo, mas é conhecido como ‘De Menor’ e tem extensa ficha criminal, além de ligação com uma facção da região. Dentre os delitos cometidos por ele, há dois homicídios, violência doméstica, roubo e porte de arma de fogo, todos cometidos durante sua adolescência. Atualmente, Pablo tem 19 anos de idade.

Veja Também

O segundo suspeito também já foi identificado pela polícia, mas a investigação exige que o nome seja mantido em sigilo. A informação obtida é que ele também seja adulto.

A possível razão do crime

De acordo com o delegado Jeffrey Furtado, um dos encarregados pela análise do caso, a razão mais provável do crime é que João e Francivaldo tenham sido assassinados por suspenderem o fornecimento de energia de residências inadimplentes. Os terceirizados da Cemar já teriam cortado a energia de quatro casas da região.

“Depois de eles terem efetuado o último corte, que fica a um quarteirão do local onde estacionaram, eles saíram do local, pararam o carro por algum motivo (…) e, nesse momento, foram abordados pelos assassinos que chegaram por trás e atingiram a parte posterior de suas cabeças. Depois, os suspeitos evadiram”, relata Jeffrey.

Ainda segundo o delegado, as suspensões de energia que teriam sido a suposta motivação dos homicídios podem ainda ter sido feitos por outros funcionários em outras situações, e descontados nos dois em questão. “Estamos investigando tanto os cortes de energia que ocorreram tanto no dia do crime quanto os que ocorreram no dia anterior. Temos várias linhas de investigação e não podemos exaurir nenhuma”, explica.

Cerca de nove testemunhas já foram ouvidas e várias outras prestarão depoimento dentro dos próximos 30 dias. Além de Jeffrey, o delegado Felipe Freitas e o superintendente de homicídios, Lúcio Reis, estão encarregados da investigação.

Entenda

Na manhã do último dia 15, por volta das 9h20, dois colaboradores da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) foram mortos a tiros dentro do carro da empresa, no Sítio Natureza, no Paço do Lumiar, região metropolitana de São Luís, no Maranhão. As vítimas, João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva, morreram instantaneamente.

Em nota, a Cemar se pronunciou sobre o ocorrido, lamentando a morte de seus colaboradores e se pondo à disposição para ajudar nas investigações.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS