CRISE EM FAMÍLIA

Filha de Cabo Campos registra B.O. contra a mãe por agressão

A filha do parlamentar registrou o boletim após ter sofrido supostas agressões por conta de sua orientação sexual; Maria José, a mãe, já havia registrado B.O. contra o marido

Veio à tona na noite desta terça-feira, 6, um Boletim de Ocorrência (B.O.), de número 688/2018, registrado no dia 8 de fevereiro pela do filha deputado estadual Roberto Campos Filho, conhecido como Cabo Campos, contra a mãe, Maria José. De acordo com o documento, Laila Campos teria sido agredida fisicamente com uma cruzeta e tapas, por conta de sua orientação sexual.

As agressões, segundo a ocorrência, tiveram início no dia 6 do mês passado, por volta das 23h. “Ambas discutiram, pois a autora não aceita a orientação sexual da vítima; que, em meio à discussão, a autora a agrediu com uma cruzeta, com tapas pelo corpo, com empurrões e puxões de cabelo, enquanto a ofendia verbalmente”, diz o documento. Consta no B.O., ainda, que Maria José teria ameaçado novas agressões, caso visse a filha acompanhada de uma namorada.

Agressões

A família do deputado Cabo Campos tem vivido momentos de tensão desde o início de fevereiro. Maria José Campos, com quem o parlamentar é casado há 26 anos, denunciou o marido por violência doméstica no dia 4 do mês passado – dois dias antes de ter supostamente agredido a filha, Laila Campos, por conta de sua orientação sexual. De acordo com o B.O. registrado, Maria José teria sido atingida com golpes na cabeça e na boca, na presença dos dois filhos do casal, além de ouvir xingamentos.

Foram determinadas medidas protetivas para garantir a integridade da vítima, entre elas, o afastamento da residência da vítima, proibição de aproximação – com limite mínimo fixado em 200 metros -, proibição de contato por qualquer meio de comunicação e de frequentar a casa ou local de trabalho da esposa. A decisão foi publicada cinco dias após as agressões terem ocorrido.

Roberto Campos Filho, vulgo Cabo Campos, foi eleito deputado pela primeira vez em 2014

Cabo Campos negou

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o parlamentar Cabo Campos negou as agressões, disse que as informações divulgadas eram “maldosas, caluniosas e inverídicas”, e pediu orações aos seus eleitores.

O Imparcial tentou entrar em contato com o deputado, que não atendeu as ligações ou respondeu as mensagens enviadas. Segundo informações, Cabo Campos deverá se posicionar nesta quarta-feira, 7, em sessão na Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema).

Clima na Alema

Segundo a assessoria da Alema, Cabo Campos não tem ido às sessões plenárias. O parlamentar corre o risco de ter mandato cassado, assim que o inquérito for finalizado. A Procuradora da Mulher na Alema, deputada Valéria Macedo, afirmou que pedirá à Comissão de Ética a instauração de processo disciplinar por conta das acusações – o que pode constituir quebra de decoro suficiente para que Cabo Campos tenha o mandato cassado.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS