TRABALHADORES

Servidores públicos fazem ato contra reformas

Concentrados nas imediações da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), os manifestantes pediram a anulação da Reforma Trabalhista, que já foi aprovada e entra em vigor no mês de novembro

Como demonstração da insatisfação dos servidores públicos com a Reforma da Previdência e outras medidas que o governo federal vem adotando, a APRUMA se uniu às centrais sindicais e executou na manhã desta quinta-feira (14) um ato no qual foram expostos – através de discursos orais e panfletos distribuídos a quem passou pela Av. Dos Portugueses, no Bacanga – os principais argumentos defendidos pela classe em relação às reformas.

Concentrados nas imediações da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), os manifestantes pediram a anulação da Reforma Trabalhista, que já foi aprovada e entra em vigor no mês de novembro. O ato não se restringiu à São Luís,  o dia 14 de setembro foi reservado para paralisações e manifestações em diversas cidades do país, de acordo com organizadores do protesto que ocorreu h0je na capital maranhense.

Por se tratar de uma interdição parcial no trecho que liga a área Itaqui- Bacanga ao centro de São Luís, o trânsito na região não sofreu nenhuma alteração e fluiu naturalmente durante as quatro horas de duração do protesto.

Novos atos a níveis nacional e local já estão sendo agendados com o objetivo de barrar as reformas que, segundo os manifestantes, prejudicam demasiadamente os trabalhadores brasileiros.

MOSTRAR MAIS