Violência contra o idoso

Filhos e netos são os principais agressores de idosos, diz DPE

Entre janeiro e julho deste ano foram realizados quase 6 mil atendimentos. Dentre eles, 712 estão relacionados à violência contra o idoso, sendo que 63% dos episódios foram protagonizados por filhos e netos da vítima

(Foto: Divulgação)

Mulher com idade entre 60 e 70 anos. Este é o principal perfil da pessoa idosa que é rotineiramente acolhida pela Defensoria Pública estadual (DPE/MA). Os agressores são, na maioria das vezes, filhos e netos. Esses dados foram divulgados pelo defensor-geral do Estado, Werther de Moraes Lima Junior, durante a apresentação do balanço da Campanha de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, com o tema “O direito do idoso pede passagem”.

A campanha, desenvolvida pelo Centro Integrado de Apoio e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (Ciapvi), teve como objetivo discutir estratégias de promoção de políticas públicas que oportunizem um envelhecimento digno, saudável e sem violência.

De acordo com os dados do Ciapvi, entre janeiro e julho deste ano, foram realizados quase 6 mil atendimentos, dentre eles 712 estão relacionados à violência contra o idoso, sendo que 63% dos episódios foram protagonizados por filhos e netos da vítima. Figuram entre as violações de maior incidência a negligência, as violências física, psicológica e financeira, a autonegligência e o abandono.

Segundo o defensor-geral, a intenção da DPE em integrar ações como estas é fortalecer a atuação da rede de proteção ao segmento. “A Defensoria tem se destacado pela atuação aguerrida de seus defensores e servidores, sobretudo das equipes especializadas, em favor do idoso. Além disso, a instituição tem fomentado o protagonismo dos demais membros e atores da Rede, estreitando laços, visando à construção de uma cultura de paz e respeito ao nosso idoso”, destacou Werther Lima Junior.

Na ocasião, o gestor da Defensoria garantiu mudanças na capacitação voltada a cuidador de idosos. Para ampliar seu alcance, a nova capacitação se chamará Curso de Cuidador de Pessoas e será direcionada a cidadãos que serão preparados para cuidar de idosos e também de pessoas com deficiência.

Já o promotor de Justiça, José Augusto Cutrim Gomes, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso destacou a parceria entre as instituições, em especial com a Defensoria. “Em relação à atuação em favor da pessoa idosa, temos uma sinergia importante com a Defensoria Pública para a garantia dos direitos dos idosos, instituição que julgo uma parceira de primeira ordem”, destacou o promotor.

A campanha, que marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra à Pessoa Idosa, comemorado em 15 de junho, é uma promoção da DPE, contando com a parceria de instituições que integram a Rede de Proteção ao Idoso, como os Conselhos Estadual (Cedima) e Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI); Fórum das Entidades Maranhenses de Defesa do Idoso (Femadi), Associação Nacional de Gerontologia e Geriatria (ANG), Governo do Estado; Tribunal de Justiça e Ministério Público; dentre outros. As atividades duraram cerca 40 dias, entre palestras, seminários, panfletagens e vários outros eventos que envolveram dezenas de atores da Rede.

Também estiveram presentes no evento a coordenadora do Ciapvi, Isabel Gonzalez Lopizic; a coordenadora de Promoção da Política do Idoso da Sedihpop, Débora Jathaí; a presidente do Conselho Estadual dos Direitos do Idoso do Maranhão e do Fórum das Entidades Maranhenses de Defesa do Idoso (Femadi), Maria de Guadalupe Barros; a delegada do idoso, Igliana Freitas Azulay; além de representantes da Secretaria Estadual de Direitos Humanos (Sedihpop), do Conselho Municipal do Idosos, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, do Projeto Uniti, do Fórum das Entidades Maranhense de Defesa do Idoso, da Coordenação das Pessoas com Deficiência, Idosos e suas Famílias, da Coordenação de Promoção da Política da Pessoa Idosa; Comitê de Valorização da Pessoa Idosa e comunidade em geral.

MOSTRAR MAIS