iF Design Talent Awards

Estudantes maranhenses vencem prêmio mundial de design

Os estudantes de arquitetura e urbanismo da Uema foram premiados no prestigiado iF Design Talent Award, com o projeto Presente Solidário, que ajuda pessoas em situação vulnerável

Foto: O Imparcial

Um grupo de estudantes maranhenses foi premiado em uma das mais prestigiadas premiações de design do mundo, a iF Design Talent Award. Mariana Rios (22), Roseane Caldas (24) e Luís Costa (24) são estudantes do nono período do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Eles foram premiados com o projeto “Presente Solidário”. De acordo com Roseane Caldas, a ideia do projeto surgiu a partir do debate dentro da sala de aula.

“Em algumas aulas, nós debatemos muito o convívio no meio urbano, sobre essa variedade de pessoas e de classes sociais. Então, a gente focou em um problema que a gente acha que é muito grave, que é essa diferença no meio urbano. Muita gente precisa de ajuda e muita gente quer ajudar, mas tem receio. Foi a partir daí que surgiu a ideia de criar o Presente Solidário”, explicou a estudante.

Segundo Mariana Rios, o Presente Solidário funciona como um cartão de crédito que as pessoas podem utilizar para ajudar os necessitados.

“Muitas vezes, andando pelas ruas da cidade, somos parados por pessoas em situação de vulnerabilidade que nos pedem alguma quantia em dinheiro, uma ajuda. Mas, por causa da violência da cidade, acabamos ficando com receio de ajudar. Também existem aqueles que pedem um trocado para comer, mas na verdade utilizam para comprar drogas. Nesse caso, em vez de ajudar, nós acabamos contribuindo com um problema sério da nossa cidade. E é aí que entra o Presente Solidário”, afirmou Mariana Rios.

“O Presente Solidário é uma espécie de cartão de crédito e funciona com empresas cadastradas. Uma padaria, por exemplo. Você põe R$ 10 de crédito para comida e dá esse cartão para alguém que precise. Essa pessoa só vai poder usar esses R$ 10 para comprar comida. Se ela tentar comprar qualquer outra coisa com esse dinheiro, não vai conseguir”.

O projeto dos estudantes maranhenses concorreu com mais de 10 mil propostas de estudantes e profissionais recém-formados de todo o mundo. Além do certificado, o projeto Presente Solidário foi premiado com R$ 5.619. “Como vencedores do prêmio, a gente também ganha o direito de usar a logomarca da organização, que é uma instituição conhecida no mundo todo. E é muito bom ter isso no portfólio, principalmente pra gente que é da área criativa”, explicou Roseane Caldas. “E a universidade também passa a ser reconhecida internacionalmente. A Uema ganhou pontos no ranking internacional. E menos de 10 universidades brasileiras estão nesse ranking”.

No site oficial da instituição, onde agora está o projeto dos estudantes maranhenses, foi postada a impressão dos jurados sobre o Presente Solidário. “Uma ideia simples que aborda um problema real. Isso é bom design”.

iF Design Talent Awards

O iF Design Talent Award é uma das maiores premiações de design do mundo e é realizado duas vezes ao ano. A próxima chamada estará aberta em outubro de 2017.
As inscrições são gratuitas, o projeto inscrito não pode ter mais do que dois anos e o participante pode inscrever quantos projetos quiser. No Brasil, o Centro Brasil Design é o escritório representativo do iF. Mais informações nos sites e www.cbd.org.br ou pelo telefone (41) 3076-7332. São aceitos trabalhos individuais ou de equipes até quatro pessoas que se enquadrem nas seguintes categorias:
Smart Homes, Connect Cities;
Public Value, Life & Humanity;
Micro Apartments;
Future Healthcare.

Exposição

De acordo com Mariana Rios, todos os projetos vencedores da premiação ficarão expostos em Hamburgo, na Alemanha, de novembro de 2017 a fevereiro de 2018. Agora, o objetivo dos três estudantes é conseguir ir até o país para participar da exposição.

“É uma honra muito grande pra gente ter o nosso trabalho exposto internacionalmente. Então, agora, a gente busca, junto à universidade, apoio para conseguir ir até lá acompanhar tudo isso”, explicou Mariana Rios.