Solidariedade

Você sabe quem é o escotista? Conheça o trabalho desses voluntários

Hoje é comemorado o Dia do Escotista em todo continente americano; A Presidente da Região Escoteira do Maranhão, Sarah Amaral, conta como esses voluntários contribuem para a formação de crianças e jovens

Reprodução

Provavelmente você já deve ter visto aquelas crianças de uniforme e lencinho no pescoço, olhares curiosos, ansiosos para explorar o que vier pela frente. Mas pouco sabe, ou talvez não tenha observado que elas são conduzidas por pessoas que nada ganham em troca, além do sentimento de satisfação ao ver que os pequenos aprendem a se tornar pessoas altruístas, leais e cooperativas.

Essas nobres pessoas é que contribuem para o movimento escoteiro entre em prática. Eles são os escotistas: voluntários que ensinam crianças e jovens a terem uma maior capacidade de enfrentar as dificuldades e os obstáculos, com alegria e companheirismo. Hoje é celebrado o dia Interamericano do Escotista, em todo o continente americano, nos locais onde o movimento escoteiro está presente.

O primeiro escotista foi o fundador do Movimento Escoteiro Robert Baden Powell, que no dia 6 de agosto de 1920 foi aclamado como Chefe Escoteiro do Mundo. A partir de então a data ficou marcada como o Dia do Escotista.

Mas afinal, o que é o Movimento Escoteiro?

A ideia surgiu no ano de 1907, o inglês Robert Baden Powell, general afastado do exército, após lançar um livro onde continham experiências vividas por ele nos anos de militar, focando em técnicas de exploração e vida no campo que pudessem ser usadas na educação e formação de crianças e jovens.

O que era só um livro, se tornou um método replicado por jovens em escolas de toda região britânica, o que foi o pontapé para Baden Powell criar o movimento escoteiro. Em 1 de agosto de 1907 ocorreu o primeiro acampamento escoteiro do mundo.

Vinte rapazes de reuniram no Canal da Mancha, com os quais Baden Powell teve a oportunidade aplicar suas técnicas durante oito dias. Ele aplicou diversos ensinamentos sobre vida em equipe e ao ar livre, acampamentos, fogueiras, jogos, rastreamento, dedução e observação, técnicas de primeiros socorros, alimentação e boas ações. Ele havia pensado em tudo para que os jovens pudessem voltar para suas casas mais independentes e com novas habilidades.

A partir de então, as técnicas do militar começaram a se popularizar, passando aceitar também mulheres. Baden Powell reuniu em diversos livros, através dos quais se baseiam todos ensinamentos do Movimento Escoteiro. Hoje, o movimento atua em mais de 226 países e conta com mais de 40 milhões de membros.

A Presidente da Região Escoteira do Maranhão, Sarah Amaral, explica que “o propósito do movimento escoteiro é contribuir na formação do jovem e da criança. É um complemento à formação da família, da escola e da religião. Dentro de um grupo escoteiro ocorrem atividades que estimulam aspectos físicos, social, afetivo e intelectual de maneira progressiva. Isso porque o movimento acolhe crianças a partir dos 7 anos, e programa educativo se prolonga até os 21 anos”. Dentro desse período competências diferentes vão sendo trabalhadas à medida que a criança vai crescendo e se desenvolvendo.

O trabalho do Escotista

Todos os adultos que participam do movimento escoteiro são voluntários. E não há muitos pre requisitos para ser escotista: “Nós costumamos dizer que se a pessoa tem boa vontade, deseja partilhar um pouco do seu conhecimento e do seu tempo à comunidade, os grupos estão abertos para isso”, explica a Presidente. Ao voluntariar-se a pessoa recebe uma capacitação básica, que o tornará apto à trabalhar competências nos escoteiros.

“A gente precisa de quem tenha força de vontade, principalmente, para trabalhar em regiões de vulnerabilidade de crianças e jovens, como nas periferias. O papel do escotista é essencial para o movimento escoteiro acontecer de fato”, diz Sarah. Ela conta que o apelo ao voluntariado no Maranhão e no Brasil ainda é um desafio, pois muitas pessoas ainda visam algum retorno material no desempenho de atividades como essa. “É preciso entender que nós estamos doando nosso tempo para beneficiar pessoas que necessitam. Dedicar-se à vida dessas crianças e jovens é um compromisso que assumimos”, defende ela.

Para ser um voluntário escotista, qualquer pessoa acima dos 21 anos pode se dirigir aos às sedes dos grupos escoteiros, que aqui em São Luís se encontram no Bequimão, Turu, Olho D’Água, Araçagi e Ponta D’Areia. Para mais informações basta acessar o site do Movimento Escoteiro no Brasil em www.escoteiros.org.br.

MOSTRAR MAIS