'Lei' do Crime

Facções ameaçam assaltantes com pena de morte

Pichações em muros de bairros na capital maranhense contém mensagens afirmando que roubos serão punidos. Usar drogas também está na lista das proibições

Foto: Honório Moreira

Nos muros da capital maranhense, membros de facções criminosas vêm fazendo ameaças a integrantes das próprias facções ou facções rivais que cometam atos infracionais contra moradores de suas comunidades. Esses membros de facções se tornam uma espécie de ‘vingadores ou justiceiros’. Paralelo a isso, bandidos ameaçam de morte outros bandidos que assaltarem na sua região. Em suas ameaças também está proibido o uso de drogas nas vias públicas. Tudo isso pichado à tinta spray e letras em caixa alta nos muros de alguns bairros.

Conflitos

Na manhã desta terça-feira (11), uma operação coordenada pela polícia civil, sob o comando do delegado Gil Gonçalves do 18° DP, no bairro Cidade Olímpica, resultou na prisão de três pessoas suspeitas de matar Fábio Araújo Madeira e o seu irmão Ivan Rycson Cantanhede Silva. Outras duas pessoas já estão sendo procuradas, também por envolvimento no assassinato. O crime aconteceu em fevereiro desse ano, no bairro da Cidade Olímpica. Os detidos foram identificados como Antônio Victor Sousa Campelo, de 20 anos, Leonardo Costa Filho, de 23 anos e Ronilson Lemos Silva, de 20 anos.

Segundo delegado Gil Gonçalves o assassinato foi causado devido à rivalidade entre membros de facções na região do bairro. “Logo após o almoço cinco homens armados invadiram a casa das vítimas e os mataram. Todos já foram identificados, porém dois permanecem foragidos. Para isso, estamos trabalhando diariamente para a captura dos outros dois que foram identificados como Preto e Buzu”, disse o delegado.

Durante a operação outro rapaz foi conduzido. Ele foi identificado como Thalisson Costa Freitas, de 18 anos. Ele estava na mesma residência com Antônio Victor. Segundo o delegado, Thalisson é acusado por uma tentativa de homicídio em companhia de Antônio Victor, na semana passada. “Durante a abordagem o próprio Antônio confessou que eles dois teriam cometido a tentativa”, concluiu Gil Gonçalves.

Os três detidos foram encaminhados para a Delegacia da Cidade Olímpica (Decol), o 18º DP, onde os procedimentos de praxe foram tomados. Logo após, foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Devido não haver um mandado de prisão, Thalisson foi ouvido e solto em seguida.

Pichações

O resultado da morte dos irmãos é apenas mais um caso da violência entre facções que vem elevando os números de homicídios na capital maranhense. Até ontem 10 homicídios foram registrados na grande São Luís, de acordo com o relatório da Secretária de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA). Porém, o número é menor em comparação à mesma data do mês anterior, quando foram registrados 17 homicídios.

Pelas ruas da capital; membros de facção criminosa vêm espalhando o terror e deixando suas ameaças nos muros de alguns bairros. Nessas grafias pintadas a spray estão escritas ameaças a membros de suas facções ou facções rivais que venham cometer assaltos aos moradores de sua comunidade. Em algumas delas a ameaça de morte é colocada como punição e existe também a proibição do consumo de drogas nas vias públicas. Em outros muros os grupos criminosos assinam suas ameaças.

Um dos muros registrados pelas as ameaças está no bairro Madre Deus, em São Luís. Boa parte do muro foi recentemente pintado, mas o aviso continua lá. Segundo uma comerciante do bairro que não quis se identificar desde que surgiram as ameaças, a segurança tem reinado na região, porém mais pessoas vêm sendo punidas e alguns desconfortos estão sendo causados a ela. “Me sinto refém de uma facção. Eles tentam inibir os assaltos e de certa forma nos proteger, mas é como se eu estivesse a mercê, mesmo que indiretamente desses grupos criminosos. Porém, desde as pichações dos muros os assaltos tem diminuído”, conta a moradora.

Justiceiros

Desde o mês passado vários vídeos circulam na internet, onde bandidos “justiceiros”, vão à busca de punir criminosos da mesma quadrilha, que cometem assaltos em área demarcada como proibida. No inicio do mês o vídeo de uma quadrilha do Parque Jair, bairro que fica na cidade de São José de Ribamar, região metropolitana da capital, onde mostra como a justiça acontece com quem ultrapassa as ordens dos “manda chuvas”. Segundo o delegado da área investigações estão sendo tomadas para combater a justiça ilegal desses criminosos.
O delegado Titular de São José de Ribamar, Jader Alves afirma que a polícia está realizando ações para combater esse tipo de “justiça” que vem sendo cometida. “Mesmo que sejam bandidos a polícia está aqui para defender e proteger a vida das pessoas. Nos próximos dias pretendemos está solucionando e identificando os possíveis “justiceiros” que vem espalhando o terrorismo”, disse o delegado.

Recentemente a Polícia Civil do MA, na DP Especial de São José de Ribamar, apreendeu uma menor de 16 anos, após cometer assalto com um comparsa no município. Ao chegar à delegacia foi visto que na mão da menor estaria com alguns pinos ortopédicos, ela foi interrogada pela polícia e confessou ter sido uma dívida que ela teria com seus “justiceiros”. “Ela afirmou que havia cometido um assalto em uma área proibida. Porém, ela recusou falar quem cometeu isso com ela, porque caso ela entregue ou cometa de novo esse roubo, ela será morta. Quando a menor chegou aqui na delegacia, não conseguiu nem sequer assinar devido à deficiência na mão”, disse o delegado Jader Alves.

MOSTRAR MAIS