COPA DO MUNDO

04 motivos do futebol belga gostar do talento maranhense

Tudo começou com a ida do jovem Airton Oliveira para a Bélgica em meados de 1980. Bom de bola, ele naturalizou-se belga e disputou uma Copa do Mundo. Dezenas de outros atletas seguiram a mesma rota

Reprodução

Crescimento e exportação de craques para a Europa

Raimundinho Lopes, ex-meia do Moto e Sampaio Corrêa, com passagem por vários clubes em três continentes, hoje treinador e comentarista de futebol da Rádio Timbira, considerado à época um craque de raro talento, apesar da estatura considerada baixa para esse esporte na Europa, também não teve dificuldades para mostrar seu talento no futebol da Bélgica, conquistando títulos importantes em grandes equipes daquele país. Ele se sente feliz em ter colaborado para o crescimento do futebol belga no início dos anos 1990.

“Quando cheguei, o Seraing estava na terceira divisão. Três anos depois, a qualidade do time já era outra. Assim, subiu para a segunda e chegou à primeira divisão. Ficamos 30 jogos invictos. Eles perceberam que valeu a pena investir na qualidade técnica e não apenas priorizar a parte física. Assim, evoluíram, tecnicamente, deram sequência ao trabalho de revelação de novos talentos de lá mesmo, e chegaram aonde estão. Ao ponto de aumentar o número de exportações para países europeus de maior poder econômico.

Muitos dos que estão nesta seleção belga atuam em grandes clubes da Europa”, informa. Raimundinho, que já tem convite de dois clubes locais para voltar a trabalhar como treinador na próxima temporada, vem acompanhando os jogos da Copa da Rússia pela televisão, e também não vê muitas chances para a Bélgica derrotar o Brasil.

“Tudo bem, eles cresceram, ainda jogam um futebol veloz, mas têm algumas falhas que se o Brasil explorar, já era. São buracos que eles deixam nas laterais, principalmente do lado esquerdo. Se o Brasil voltar a jogar o que vem mostrando em campo, não dará aquelas chances que foram dadas aos belgas pelo Japão. Agora, temos mais time, porém, precisamos também respeitar o adversário sem ter medo do que ele vêm fazendo.

« Anterior5 / 5
VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias