COPA DO MUNDO

04 motivos do futebol belga gostar do talento maranhense

Tudo começou com a ida do jovem Airton Oliveira para a Bélgica em meados de 1980. Bom de bola, ele naturalizou-se belga e disputou uma Copa do Mundo. Dezenas de outros atletas seguiram a mesma rota

Reprodução

FORÇA E TALENTO

De certa forma, os atletas maranhenses deram sua contribuição para o desenvolvimento do futebol belga. Antes, o país apostava muito mais na preparação física (futebol de força e velocidade) do que na revelação de talentos.

“A chegada de jogadores do Maranhão e de outros países faziam o diferencial na qualidade técnica dos espetáculos e das competições nas três principais divisões, daí os dirigentes se sentiram mais estimulados a mudar a cara do futebol belga, passando a investir pesado numa qualidade técnica de atletas formados lá mesmo, sob a orientação especializada de nova safra de técnicos”, revela o maranhense Rubenilson, que também defendeu a Seleção Sub-21 da Bélgica, mas hoje reside em São Luís, onde observa e prepara jovens talentos numa escolinha de futebol que comanda num bairro da capital, e na cidade de Rosário. Recentemente, ele indicou ao Corinthians um garoto que viu atuar no povoado São Simão, município de Rosário.

Sobre as chances da Bélgica neste Mundial, Rubensilson observa que realmente houve uma revolução nesse esporte naquele país nos últimos anos, e a prova disso é a passagem para as quartas de final na Rússia. Todavia, entende que eles (os belgas) ainda não estão ainda à altura de desclassificar uma seleção como a do Brasil, pelo bom momento que o time comandado por Tite atravessa. “Eles podem até incomodar, e se o Brasil começar a perder gols, a coisa pode se complicar, mas se nossa Seleção jogar sério e impor sua maior categoria, vai às semifinais”, analisa.

« Anterior Próxima »2 / 5
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS