CORONAVÍRUS

No Maranhão

6650
96718
75570
2392
DIA DA PIZZA

Consumo de pizza segue alto mesmo durante a pandemia e diminui crise

A queridinha dos brasileiros foi e está sendo dos mais consumidos na pandemia. A receita não é brasileira, mas é uma paixão nacional que cai bem em qualquer situação

Reprodução

Ela está presente em quase todas as rodas festivas e é difícil encontrar quem não goste. Neste fatídico ano em que a pandemia causada pelo coronavírus fez com que o mundo inteiro se recolhesse, brasileiros aumentaram o consumo de comidas prontas, tipo fast food, e a produção de pizzas aumentou. Hoje, dia 10 de julho, o Brasil comemora o Dia da Pizza. Segundo dados da Associação Pizzarias Unidas do Brasil, são produzidas por dia cerca de 1 milhão delas.

E se para muitos empreendedores, a pandemia e suas consequências foram de prejuízo para seus negócios, para o mercado da pizza houve quem comemorasse. As pizzarias, diante dessa pandemia, tiveram um aumento considerável de pedidos, fazendo com que aumentassem as suas vendas por conta da quantidade de pessoas que estão evitando sair de casa, especialmente quando em São Luís foi adotado o período de lockdown.

Mesmo com a autorização para funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes atendendo às regras de decreto estadual, tanto pizzarias de bairro quanto alguns restaurantes ainda estão trabalhando em ritmo apenas de delivery ou retirada na loja. “Como a gente já operava mesmo com delivery antes da pandemia, para a gente não houve problema porque continuamos trabalhando. Até tivemos que aumentar o número de entregadores porque a demanda também aumentou”, contou o gerente de uma pizzaria na Cohama, André Mendes.

De acordo com André, seu empreendimento ainda está em expansão e é considerada uma “loja de bairro”. “A gente comemora cada cliente, e quando isso passar a gente vai abrir um salão para receber o cliente presencialmente. Por enquanto só trabalhamos com retirada e delivery. Queremos passar das 30 pizzas que entregamos em um dia de semana, por exemplo”.

A gente comemora cada cliente, e quando isso passar a gente vai abrir um salão para receber o cliente presencialmente. Por enquanto só trabalhamos com retirada e delivery

Vendas aumentaram durante momento crítico

Para Alzir Duailibe, do Rei da Pizza, no Calhau, durante o período mais crítico da pandemia, as vendas aumentaram em 20%. Ele, que ainda não abriu o salão para consumo presencial, continua operando em delivery, conta que precisou aumentar em 50% o quadro de profissionais da pizzaria. “Tivemos que intensificar o trabalho para atender a demanda. Em relação ao período sem pandemia tivemos acréscimo sim, graças a Deus. Foi ruim para pizzarias que trabalhavam só com salão, mas para quem já operava em delivery, não”, disse ele, que produz em média 2 mil pizzas por mês.

Tivemos que intensificar o trabalho para atender a demanda

No Brasil existem pelo menos 40 mil pizzarias formais e informais, em um mercado liderado por pequenos empreendedores, em que 60% deles opera apenas através de entrega. Raimundo Santos, de uma pizzaria na Cidade Operária, também é um desses 60%, “Um balcão, três profissionais na cozinha e dois motoboys. É assim que a gente trabalha. Começamos pequenos, com preços populares, e quem sabe a gente cresce, abre um restaurante?”, acredita.

Um balcão, três profissionais na cozinha e dois motoboys. É assim que a gente trabalha. Começamos pequenos, com preços populares, e quem sabe a gente cresce, abre um restaurante?

Em uma pesquisa da Associação Pizzarias Unidas do Brasil publicada no portal 6minutos, as pizzarias que se dedicam exclusivamente ao delivery tiveram uma alta de 10% nas vendas, em média. Por ser um produto que dá para 3 ou 4 pessoas comerem, acaba sendo uma alimentação democrática e mais em conta. “Uma pizza aqui em casa, que somos 3 pessoas, dá para suprir bem a nossa necessidade e não sai caro, contou Luciana Costa.   É sempre bom lembrar que, ao receber alguma entrega, é importante que se lave as mãos com água e sabão e, se possível, passe um álcool em gel para garantir a limpeza.

Calabresa

A Associação Pizzarias Unidas do Brasil realizou entre março e início de junho pesquisas entre associados e não associados, com o objetivo de levantar dados do setor em meio a pandemia. Existem atualmente pouco mais de 40 mil pizzarias, formais e informais, no país.  Com a pandemia, a palavra da vez foi adaptação. O setor, que já vem nos últimos anos em crescente expansão para o delivery, assim como tantos outros da área de foodservice teve que se adaptar, mas visivelmente foi um dos menos afetados. Pela pesquisa, a pizza de Calabresa foi eleita a principal paixão dos brasileiros, seguidos pelos sabores Portuguesa, e depois, Frango com Catupiry. “Com certeza a pizza de calabresa é preferência nacional e maranhense. É a mais pedida do cardápio”, disse Alzir Duailibe.

Com certeza a pizza de calabresa é preferência nacional e maranhense

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias