CULTURA

Clubes de Leitura crescem em São Luís; saiba como participar

Engana-se quem pensa que os clubes de leitura morreram no século 18. Embora suas raízes estejam no século das revoluções e grandes descobertas, os frutos ainda podem ser colhidos até hoje

Foto: Reprodução

Uma vez por mês, eles se reúnem num espaço bem pequeno dentro de um shopping movimentado de São Luís. O exíguo tempo que eles têm parece ser ainda menor quando lançam na mesa todas as curiosidades e informações sobre as páginas dos livros (e sobre quem as escreveu também) lidos durante os últimos 30 dias.

Engana-se quem pensa que os clubes de leitura morreram no século 18. Embora suas raízes estejam no século das revoluções e grandes descobertas, os frutos ainda podem ser colhidos até hoje. O Imparcial conversou com coordenadores de duas das várias iniciativas literárias que vivem pela cidade.

Leia também: A leitura é um “exercício de solidão”?

Uma delas é o Clube do Leitor, iniciativa promovida por uma servidora da Pró-Reitoria de Ensino da UFMA, Thaís Fonseca, no final de 2016. Em parceria com o estudante de Jornalismo Lucas Ribeiro, a criação do clube foi motivada pelas poucas opções de entretenimento desse tipo. “Nós notamos uma problemática na capital: os poucos eventos e produções culturais voltados para discussão de literatura. O clube foi fundado e, desde então, nos reunimos para discorrer sobre várias obras. O primeiro encontro oficial ocorreu em 11 de janeiro e, além de fomentar debates, nosso clube tem a proposta da difusão de autores contemporâneos”, conta Lucas Ribeiro, coordenador do projeto.

A jornalista Asmynne Barbosa diz que a promoção de espaços como esse ajuda a resgatar o valor social dos livros nos espaços de São Luís. “Quando um grupo de pessoas se reúne para discutir sobre determinada leitura, ressalta-se a importância da troca de ideias, do debate e do compartilhamento público dos temas abordados no livro”. E completa, ressaltando que “a leitura, dessa forma, extrapola a atividade solitária e ganha contornos públicos”.

O estudante de Engenharia Elétrica Tiago Millioli revelou que, em seu círculo de amizades, não havia muitas pessoas que compartilhavam do apreço que ele tem pela leitura. Agora, após começar a frequentar o Clube do Leitor, encontrou pares que podem dialogar com ele sobre os diversos universos escondidos e à espreita em cada página. “Acho que a maior relevância é de compartilhar as experiências vividas nos livros. Eu, como leitor, não tinha muitos amigos que gostassem de ler, e com o clube, agora posso compartilhar as experiências vividas durante as leituras, discutir sobre os assuntos abordados, conhecer livros e autores novos”, diz.

Quem também conversou com nossa equipe foi uma das coordenadoras do Clube do Livro do Maranhão, Kleris Ribeiro. Segundo ela, o projeto é uma atividade para leitores trocarem impressões e dicas de leitura, mas com visão, responsabilidade e dedicação. “É um coletivo que reúne cidadãos da comunidade leitora em encontros e eventos literários, com determinada frequência (mensal) e em determinado local (livraria), para mediar o impacto real que os livros têm ou podem ter na vida das pessoas”, ressalta.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS