TRÂNSITO

53 mil infrações por excesso de velocidade no Maranhão

Na capital, de janeiro a agosto deste ano, foram 83.481 infrações, sendo que 47.124 foram por velocidade superior a máxima permitida em 20%

Reprodução

Você sonha com um trânsito tranquilo, acessível, fluente, seguro? Seria ideal, não? Mas a realidade é bem diferente. No estado, as multas por excesso de velocidade são as mais cometidas por motoristas maranhenses. Somadas as transgressões com velocidade superior à máxima permitida em 20% com as acima de 20% até 50%, são mais de 53 mil infrações, ou seja, das 129.371 registradas no estado, 41% são relacionadas aos limites de velocidade.

Na capital, de janeiro a agosto deste ano, foram 83.481 infrações, sendo que 47.124 foram por velocidade superior a máxima permitida em 20%. O excesso de velocidade é responsável pela maioria dos acidentes que são cometidos. Somente este ano, na região metropolitana, 55 pessoas já foram a óbito, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, em decorrência de acidentes de trânsito. No ano passado, no mesmo período foram 47 mortes.

Segundo dados do Ministério da Saúde, morrem por ano mais de 35 mil brasileiros vítimas de acidentes. Este número, porém, pode ser muito maior, pois são contabilizados apenas aqueles que morrem no local do acidente. Especialistas estimam que esse número chegue a 50 mil brasileiros mortos no trânsito. A dor maior é das famílias que perdem parentes ou que têm que conviver com vítimas que ficam com sequelas graves.

Para mudar esta realidade ou pelo menos amenizá-la, a sociedade deve ser mobilizada, começando pelos órgãos que têm responsabilidade direta sobre o trânsito e estendendo-se para todos os cidadãos. Com base nessa afirmação acontece nos próximos dia 16 e 17, no Espaço Orienta, o 2º Encontro Maranhense de Segurança Viária, que reunirá especialistas nacionais em trânsito, como parte da programação da Semana Nacional de Trânsito 2019, que acontece de 18 a 25 de setembro. O evento reunirá autoridades e especialistas em trânsito para debater ações e buscar soluções para um trânsito mais seguro.

Para a diretora-geral do Detran-MA e presidente da Associação Nacional dos Detrans (AND), Larissa Abdalla Britto, o Encontro de Segurança Viária é uma ótima maneira de iniciar programação da SNT 2019, que este ano tem como tema: Como Seria o Trânsito dos Seus Sonhos. “Durante os dois dias debateremos importantes tópicos sobre segurança viária junto com representantes de órgãos inseridos no Sistema Nacional de Trânsito, com foco na redução dos índices de acidentes. É muito importante que tenhamos este momento de debate para buscarmos juntos, soluções para um trânsito mais seguro e consequente redução no número de óbitos”, destacou Larissa Abdalla.

De acordo com a diretora, muito já se avançou em termos de infraestrutura viária, fiscalização e educação. “Os números de acidentes tem diminuído em resposta a essas iniciativas. Mas cada vida é importante para nós e a perda dela nos macula enormemente, da mesma forma como nos faz encarar o quanto ainda temos que fazer em busca de mais paz e segurança no trânsito. Conscientizar é o mais desafiador em se tratando de trânsito”, diz Larissa.

Mas, cada vida é importante para nós e a perda dela nos macula enormemente, da mesma forma como nos faz encarar o quanto ainda temos que fazer em busca de mais paz e segurança no trânsito

Fiscalização e conscientização

De acordo com a diretora do Detran, o órgão possui uma carta de mais de 20 projetos educativos executados de forma permanente, que vão desde a educação nas escolas até as levada ao ambiente corporativo das empresas. Quanto às fiscalizações, elas são realizadas “em se tratando de peculiaridades locais, da infraestrutura existente e dos recursos disponíveis. Nenhuma fiscalização, no mundo inteiro, consegue ser 100% eficaz. Por isso que, em se tratando de trânsito, fiscalização e educação, obrigatoriamente, devem andar juntas. E devem também ser implementadas de forma permanente, em um trabalho sério, continuo e planejado”, aponta Larissa Abdala.

Para Sheila Borges, diretora da ProSimulador, alguns mecanismos de segurança, de educação para o trânsito e de conscientização, aliados às fiscalizações, formam o conjunto que vai diminuir a quantidade de acidentes e infrações no trânsito. “A fiscalização é importante e inibe más condutas no trânsito, mas sozinha não é eficiente. Países como Espanha e Austrália, que há algumas décadas tinham cenários bem parecidos com os que hoje o Brasil apresenta, investiram na formação do condutor, em campanhas de conscientização, uma eficiente fiscalização e punição rigorosa. Esses três fatores, bem aplicados, transformaram a realidade no trânsito nesses países. A questão é que, no Brasil, é preciso evoluir mais com medidas voltadas para o trânsito”.

Sobre a mais recente medida do Governo Federal de retirar os radares móveis nas rodovias federais, a diretora se mostra preocupada. “Existem estudos que comprovam a importância da redução de velocidade. Diminuir em 1% leva a uma queda de 2% no número de feridos leves, 3% nos feridos graves e 4% nos casos de fatalidades, segundo dados da Conferência Global sobre o Uso da Tecnologia para Aumentar a Segurança nas Rodovias. A formação do condutor, em conjunto com a legislação e as punições, é fundamental pois força a mudança de comportamento, mas para que ela realmente ocorra, é preciso uma mudança de mentalidade. Antigamente, as pessoas não utilizavam cinto de segurança e eram relutantes à lei que o tornou obrigatório. Com o passar do tempo, as campanhas educativas e a aplicação de multas foram surtindo o efeito desejado (além da democratização do acesso à informação) e, hoje, é automático entrar em um automóvel e colocar o acessório”, lembra Sheila Borges.

No Maranhão a frota de veículos é de 1.687.248, sendo que as motocicletas representam mais de 50% desse total, com 860.293 circulando no estado. Na capital, São Luís, a frota de veículos é de 400.760. Desse total, 50,77% (203.484) são automóveis e 26,17%, 104.883 são de motos.

As infrações mais perigosas

  • Transitar em velocidade superior a máxima permitida em 20% –  47.205
  • Transitar em velocidade superior a máxima permitida em mais de 20% até 50% –  5.872
  • Deixar o condutor de colocar o cinto de segurança –  5.304
  • Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor sem capacete –  4.597
  • Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor transportando passageiro sem capacete – 2.999
  • Transitar pela contramão de direção em via com sinalização de regulamentação de sentido único de circulação – 2.527
  • Avançar o sinal vermelho do semáforo –  2.169
  • Deixar o passageiro de usar o cinto de segurança – 1.885

Fonte: Detran/Jan a Agosto 2019

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias