DECISÃO JUDICIAL

Suspeitos de terem degolado jovem em Santa Inês são condenados

A vítima além de ter recebido diversos golpes de facão, foi decapitada e enterrada, como forma de tentativa de ocultação de cadáver.

Foto: Reprodução

Na última quarta-feira, 10, o Tribunal do Júri da Comarca da cidade de Santa Inês condenou, Jhonatan dos Santos Reis, mais conhecido como “Magrão”; Luís Henrique Rocha Mendes, apelidado de “Preguinho”; e Werley Nogueira Leal, também chamado de “Sula”, à 18 anos e 2 meses; 18 anos; e 20 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão, em regime inicial fechado, pelo assassinato de Denilson Cassiano Matos.

O crime ocorreu no dia 9 de junho de 2017. A vítima além de ter recebido diversos golpes de facão, foi decapitada e enterrada, como forma de tentativa de ocultação de cadáver.

Os réus foram denunciados pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA), pela prática de homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel e mediante dissimulação que impossibilitou a defesa da vítima). A denúncia considerou que houve ocultação de cadáver e corrupção de menores.

Quatro adolescentes também participaram do assassinato e atualmente cumprem medida socioeducativa de internação.

MOTIVAÇÃO

O crime teria sido motivado depois que Denilson havia feito uma uma cobrança a um dos adolescentes envolvidos. A vítima exigiu o pagamento de uma dívida por compra de drogas. No momento da cobrança, Denilson Matos desferiu socos em dois adolescentes e ainda ameaçou os jovens de morte.

Após isso, os dois adolescentes na companhia de Luís Henrique Mendes – que também já teria sido agredido por Denilson – planejaram o assassinato e chamaram alguns integrantes de uma facção criminosa rival à da vítima para participarem do crime.

Luís Henrique iniciou as agressões, desferindo uma paulada em Denilson. Em seguida, todos desferiram golpes de facão, culminando na decapitação e no enterro do corpo em uma cova rasa.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias