CARNAVAL

Cresce a procura por passagens para o Ferry Boat

Passagens de praticamente todas as barcas já foram vendidas e são poucas as vagas para quem ainda espera viajar entre sexta e domingo

Movimento do Terminal Rodoviário de São Luís. (Foto: Karlos Geromy)

As malas estão quase prontas e, para quem espera curtir a folia carnavalesca fora da capital, não faltam são opções de lugares onde a festa deve ser boa. Mas antes de colocar a mochila nas costas e cair no mundo é importante se programar. Os principais meios de saída da capital, rodovias e transporte marítimo costumam ferver nesse período e, até o dia da viagem, a passagem já deve estar garantida.

Apesar da ansiedade de alguns, o número de viagens de ônibus ainda não apresentou um crescimento satisfatório, segundo alguns empresários do ramo que realizam viagens do terminal rodoviário de São Luis. Ainda assim, o esperado é que, como todo brasileiro que se preze, o folião comece a encher os guichês de venda de passagens a partir desta quinta ou sexta-feira que antecede o carnaval.

Ferry cheio

No terminal da Ponta da Espera em São Luís, segundo a administração, o fluxo intenso de viagens já é esperado com expectativa e tranquilidade para até o domingo. De acordo com Liana Leda, do setor administrativo do terminal, as passagens de praticamente todas as barcas já foram vendidas e são poucas as vagas para quem ainda espera viajar entre sexta e domingo. Ela reforça que viagens extras só ocorrerão se a administração perceber a necessidade de acordo com a demanda de passageiros. “As viagens estão quase todas cheias já. O movimento vai ser intenso desde a sexta, no sábado e até no domingo por volta de meio-dia. As pessoas ainda preferem viajar no ferry porque o percurso é mais rápido que pela rodovia. Viagens extras vão depender da demanda, se houver necessidade, elas ocorrerão provavelmente à noite, quando se encerram as viagens normais”.

Segundo Liana, são realizadas diariamente 12 viagens e no caso de inclusão de barcas extras serão mais 3 viagens. Ela destaca que pessoas que não garantiram passagens e forem até o terminal para tentar conseguir uma vaga não tem garantia de que obterão alguma vaga. “No caso de ter três carros esperando, por exemplo, a gente não tem Ferry extra. Eles teriam que aguardar mesmo uma desistência ou surgir uma vaga. Agora um demanda grande para mais de cinquenta carros, aí sim, se fariam viagens extras”.

Para garantir a melhor fluidez no embarque, os passageiros devem sair mais cedo de casa e chegar com bastante antecedência ao terminal. “Normalmente já se aconselha que o passageiro chegue com uma hora de antecedência. Nesse período de grande fluxo, a gente pede que as pessoas cheguem com uma hora e meia a duas horas para evitar grandes filas e para que o embarque ocorra com mais tranquilidade”, ressalta Liana Leda.

Rodoviária

Movimento do Terminal Rodoviário. (Foto: Karlos Geromy)

Parece que os foliões estão mais inclinados ao carnaval da Baixada e têm deixado as viagens por meio das rodovias federais em segundo plano. Pelos menos é isso que tem sido percebido com a baixa procura por passagens no Terminal Rodoviário, mesmo com o carnaval já tão próximo. A quantidade de passageiros que têm procurado a rodoviária para adquirir passagens para o período carnavalesco não está muito diferente das vendas diárias. A esperança das empresas é que até a sexta ocorra uma elevação significativa para ao menos alcançar o volume de vendas do ano passado.

Segundo o funcionário de uma empresa de transportes, Naldo Lima, ainda não foram vendidas nem as passagens dos ônibus que já completam a escala de viagens diária. Cenário preocupante, já que nessa época costumam ser incluídos vários ônibus reservas para atender a demanda. “A procura ainda está bastante baixa, e deve aumentar mesmo apenas na sexta feira. Nas vendas de bilhetes para o período de carnaval, ainda não enchemos nem os ônibus que já saem normalmente e até agora não se tem previsão de viagens extras. A procura está bem menor que no ano passado. Acredito que por conta das condições financeiras da população hoje em dia”.

Mesmo com o guichê de vendas de passagens funcionando desde as cinco da manhã até meia-noite, Naldo tem percebido que a movimentação intensa de pessoas só acontece em alguns horários, por períodos pequenos. “Não tem um horário certo de grande fluxo. Geralmente, tem um aumento entre as dez da manhã até o horário do almoço, e também à noite, mas ainda está pouco para o período”.

Para quem trabalha no transporte interestadual, como Raimundo Marajó, os viajantes são praticamente apenas pessoas que irão encontrar a família no feriado. “A procura não é muito grande, mesmo nesse período, porque, quem vai para festa de carnaval, vai para algum interior daqui mesmo do estado. Quem viaja para outro estado é geralmente aquela pessoa que trabalha aqui e tem parentes em outro estado e aproveita a folga para passar um tempo com eles”, afirma.

Segurança na estrada

Durante todo o período de carnaval, a Polícia Rodoviária Federal estará realizando operações de fiscalização e orientação do trânsito para evitar acidentes e irregularidades e manter a segurança dos foliões na ida e volta. As fiscalizações ocorrerão desde a sexta feira (9) e se estenderão em vários pontos das rodovias federais até a quarta feira de cinzas (14). Serão pelo menos 60 agentes trabalhando durante o período.

O inspetor da PRF, Antônio Noberto, destaca que os pontos que necessitam de maior atenção dos motoristas terão policiais orientando e fiscalizando. “Aqui na BR-135, na saída de São Luís, ainda temos o problema do elevado que ainda não foi entregue e não será utilizado infelizmente, mas a rodovia do aeroporto até Bacabeira está duplicada, o que deve facilitar a fluidez do trânsito. A fiscalização estará também concentrada na BR-010, entre Porto Franco e Açailândia e também na BR-316, especialmente próximo a Caxias, onde a rodovia é muito boa e os motoristas desenvolvem velocidade muito alta, inclusive provocando acidentes com óbitos nos últimos dias”.

Noberto alerta sobre a fiscalização dos itens de segurança obrigatórios que devem ser observados pelos motoristas antes de pegar a estrada. “Serão fiscalizados itens como farol aceso, que é obrigatório, cinto de segurança para todos os ocupantes, inclusive os de trás, que muita gente não atenta para isso. O condutor vai ser fiscalizado na questão de embriaguez ao volante. Nesse período, muitos vão soprar o etilômetro. Condições de veículos de transporte alternativo serão verificadas, qualidade dos pneus, limpadores de para-brisa, entre outros equipamentos”.

Os motoristas também são aconselhados a viajar durante o dia com a ocorrência de chuvas. “É melhor viajar durante o dia, até porque tem algumas rodovias que, pela intensidade das chuvas, em algumas regiões, elas começaram a ceder. Com a continuidade das chuvas é possível que haja alguma erosão que pegue a pista e a noite fica mais difícil de visualizar. Nós temos rodovias que são mais conhecidas com esse problema. A BR-222, principalmente entre Miranda do Norte e Vitória do Mearim, e ainda na 222, entre Santa Luzia do Tide e Açailândia. A BR-010 eventualmente tem esse problema entre Açailândia e Imperatriz”.

Recentemente parte da BR-316, entre as cidades de Nova Olinda e Araguanã, cedeu devido às fortes chuvas. O caso foi registrado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que já realiza reparos na pista.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS