SEGURANÇA

Cai em 40,65% o número de homicídios  no Maranhão

Os resultados positivos no combate ao crime estão diretamente ligados à criação de novos setores especializados na polícia

Foto: Reprodução

Enquanto muitos estados vivem um momento delicado na Segurança Pública, o Maranhão presencia uma situação bastante diferente, com indicadores positivos e reforço no investimento em policiais e equipamentos.

Os números mostram, por exemplo, uma queda progressiva dos homicídios na Grande São Luís. Os casos caíram 40,65% no ano de 2017 em relação a 2014, representando centenas de vidas salvas. Em 2014, foram 910 homicídios. Já em 2017, foram 540 casos. Isso significa 370 vidas salvas em apenas um ano. Levando em conta apenas janeiro de 2018, a queda é de 55% na relação com o mesmo mês de 2014. O total caiu de 87 para 39 casos.

Menos drogas nas ruas

As estatísticas mostram outros saltos nos resultados. O número de explosões e arrombamentos a agências bancárias no Maranhão caiu 73% em 2017 na comparação com 2014, passando de 48 para 13. Somente em 2017, foram presos mais de 200 acusados de cometer esse tipo de crime.

Além disso, com mais treinamento, inteligência, profissionais e setores especializados, a apreensão de drogas no Maranhão em 2017 foi de mais de 7 mil quilos, quase 70 vezes mais que em 2014.

A Operação Busca Implacável reforçou a segurança nos ônibus. Foram mais de 180 mil abordagens feitas por policiais em 2017 para coibir os assaltos nos coletivos da Região Metropolitana de São Luís.

Presídios sob controle

Antes conhecido internacionalmente pelas atrocidades, o Complexo de Pedrinhas agora vive nova realidade. Já foram alcançados dois períodos de um ano sem homicídios.

Todo o sistema penitenciário do Maranhão está transformado. Em Pedrinhas, a revista dos visitantes está mais segura, eficiente e digna graças a equipamentos como o BodyScan, um escâner corporal, e a uma série de estratégias adotadas desde 2015.

De lá para cá, foram abertas mais de 2 mil vagas no sistema penitenciário maranhense. Foram oito presídios concluídos e 15 reformados e ampliados desde 2015. E outros estão por vir.

O Maranhão é hoje um dos cinco estados brasileiros em que menos faltam vagas nos presídios, de acordo com o Ministério da Justiça. O Maranhão também é um dos oito estados que têm um número adequado de agentes penitenciários, de acordo com levantamento do portal G1, do Grupo Globo.

Investimento pesado

Os resultados positivos no combate ao crime estão diretamente ligados à criação de novos setores especializados na polícia. Entre eles, estão a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa, a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico, a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção e o Departamento de Feminicídio. Criado em 2016, o Instituto de Genética Forense já é referência no país e usa a análise de material genético, como o DNA, para ajudar na solução de crimes. Antes, eram meses para resolver os casos; agora, é questão de dias.Além disso, dezenas de prédios vêm sendo construídos e reformados para melhorar as investigações e dar mais segurança aos moradores. Já são 28 obras concluídas para a Polícia Civil.

Mais policiais e viaturas

O Maranhão superou pela primeira vez a marca de 12 mil policiais em serviço. Desde 2015, já foram feitas mais de 3 mil novas nomeações. Os recentes concursos públicos com mais de mil vagas para Polícia Militar e outras cem para a Civil vão manter esse número subindo. Não basta contratar policiais sem dar condições de trabalho. É por isso que, de 2015 para cá, mais de 800 novas viaturas da Polícia já estão circulando em todo o Maranhão. Os veículos têm equipamentos modernos para ajudar no combate ao crime. Os policiais também têm sido valorizados: foram quase 8 mil promoções em três anos. Antes, isso demorava décadas. “Para este ano, nós vamos continuar nesse mesmo caminho: mais policiais e mais viaturas, além de novas estratégias”, diz o governador Flávio Dino.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS