2017

São Luís é a quinta cidade do país que mais gerou empregos formais

Entre as capitais brasileiras, apenas sete das 27 unidades da Federação obtiveram saldo positivo de emprego no cenário de crise instalado nos últimos anos

Reprodução

Dos 5.660 municípios brasileiros, São Luís é a quinta cidade no país que mais gerou emprego em 2017. A capital maranhense é a segunda colocada entre as capitais e no ranking das cidades do Norte-Nordeste é a primeira. Os dados, que foram destacados pela revista Exame, são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Entre janeiro e dezembro do ano passado, a capital maranhense experimentou evolução destacável na criação de empregos formais, abrindo 2.636 vagas no mercado.

Contribuíram para o aumento das vagas no mercado de trabalho, segundo o Ministério,os setores de serviço, contrução civil e administração pública. A Prefeitura de São Luís tem parcela de contribuição nesta evolução considerando a regularidade do pagamento dos salários do funcionalismo municipal e o desembolso com a execução das despesas com fornecedores e programas como o ‘Minha Casa, Minha Vida’, entre outras ações executadas pelo poder público municipal.

Entre as capitais brasileiras, apenas sete das 27 unidades da federação obtiveram saldo positivo de emprego no cenário de crise instalado no país nos últimos anos. Das nove capitais do Nordeste, além de São Luís, Natal (RN) e Teresina (PI) foram as únicas a ter acréscimo de postos de trabalho no período do levantamento feito pelo Caged. Nas outras capitais, o saldo foi acentuadamente negativo.

O prefeito Edivaldo destacou que a execução orçamentária sem sobressaltos e o equilíbrio fiscal do município tiveram reflexo positivo na economia local. O crescimento no número de empregos se deve a alguns fatores, segundo pontuou Edivaldo. Ele apontou a pontualidade do pagamento dos servidores de valor expressivo, injetando mais de R$ 100 milhões e as diversas obras realizadas no setor da infraestrutura a exemplo do programa Asfalto na Rua e o ‘Minha Casa Minha Vida’, que conteve a queda na construção civil no município. “Mesmo com o cenário de crise do país, vamos continuar mantendo os investimentos necessários para garantir mais qualidade de vida para a população e mais emprego e renda”, completou o prefeito.

Em todo país, a retração no estoque de emprego formal foi de mais de 20 mil postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, a redução de postos de trabalho atinge 178.528 empregados celetistas no país. O número corresponde a um percentual de 0,46% negativos no contingente. O comércio tem sido o setor responsável pelo salto positivo, impulsionado principalmente pelo varejista seguido do atacadista.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS