TRANSPORTE PÚBLICO

Protesto fecha Avenida dos Portugueses nesta manhã

No início desta manhã, Lideranças Comunitárias e a Frente de Mobilidade Urbana fecharam a barragem do Bacanga por duas horas para reivindicar contra tarifa única de passagens

Foto: Petronilio Ferreira

“Não concordo!”, afirma Maria Antônia sobre o protesto que fechou a Av. dos Portugueses no início desta segunda-feira, 29. Para ela, não há problemas em aumentar a passagem. “Tem que colocar mais ônibus nas ruas, ao invés de fechar a barragem”, dizia.

Maria Antônia, foi uma das dezenas de pessoas que desceram de seus ônibus para atravessar a pé a Barragem do Bacanga. Muitos nem entendiam a razão de tamanho engarrafamento e o trânsito lento na saída da Região, apenas caminhavam rapidamente para não chegar atrasado ao trabalho.

Foto: Petronilio Ferreira

O protesto

O protesto, que fechou em ambos os sentidos da Avenida dos Portugueses, reivindicava contra a tarifa única das passagens que está vigorando desde a última segunda-feira, 22. “Estamos aqui contra a inconstitucionalidade da tarifa única, um aumento de 50 centavos sem a aprovação da comunidade ou de uma audiência pública”, afirma uma das lideranças do movimento, Auxiliadora Rodrigues.

As 7h20, a manifestação foi encerrada pela polícia militar. Segundo manifestantes, a polícia reprimiu com violência a manifestação. “Fomos reprimidos pela polícia, que agiu de forma truculenta. Mas não vamos nos calar”, denuncia Auxiliadora.

Maria Auxiliadora, uma das organizadoras do movimento. (Foto: Petronilio Ferreira)

As passagens

Na última segunda-feira, 22, entraram em vigor novas tarifas de passagens de ônibus de São Luís. Linhas não integradas, que antes variavam entre R$ 2,20 e R$2,50, agora estão custando, 2,70. As linhas integradas passaram de R$ 2,90 para R$ 3,10. As Linhas semiurbanas passaram a valer 3,10 e 3,30.

Para os moradores do Itaqui-Bacanga, a tarifa única é alta. “Posso pagar até 5 reais de passagem, mas se aumentarem meu salário”, afirma Ana Lúcia.

MOSTRAR MAIS