CORONAVÍRUS

No Maranhão

4074
184668
177115
4014
PANDEMIA

Biomedicina: de coadjuvante a protagonista

No Brasil, apesar de ser uma área relativamente nova perto de todas existentes, a Biomedicina tem um papel fundamental no combate à pandemia do novo coronavírus

Biomedicina exerce um papel fundamental durante a pandemia do Covid-19 (Foto: Reprodução)

Nunca se falou tanto em Biomedicina, biomédico(a) na atualidade. No momento atípico em que vivemos, marcado por perdas, doenças, sofrimento, restrições, cuidados, alteração na rotina, enfim, uma ocasião que pegou todo mundo de surpresa, e em que todo mundo teve que aprender a lidar com tudo, profissionais de saúde se destacam como os verdadeiros heróis no enfrentamento a uma ameaça “invisível”:  a Covid-19, que tem feito tantas vítimas, infectadas e fatais.

Dentre esses heróis do século 21, que incansavelmente combatem diariamente na linha de frente salvando vidas e mantendo, na população mundial, a esperança pelo fim da pandemia, está o profissional biomédico, que tem se destacado cada vez mais por ter a capacidade de estudar e conhecer a fundo essa nova ameaça.

No Brasil a Biomedicina apesar de ser uma área relativamente nova perto de todas existentes, tem um papel fundamental no combate à pandemia de Coronavírus. De acordo com o coordenador do curso de Biomedicina da Florence, Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA,  professor Stanley Galvão, de todos os campos de atuação do biomédico, neste momento, podem ser destacadas algumas áreas cruciais.

Destacamos a atuação do biomédico em análises clínicas, realizando o diagnóstico molecular (PCR) e o sorológico (imunocromatografia) para o SARS-CoV-2 em laboratórios de urgência e de saúde pública de todo o país; no diagnóstico por imagem, realizando Tomografia Computadorizada, Raios-X e Ressonância Magnética nos pacientes com COVID-19; e na Vigilância Epidemiológica, uma vez que, com os resultados dos exames emitidos, é possível traçar curvas de projeção epidemiológica para que medidas de prevenção e controle possam ser traçadas”, explicou.

Além desses campos, fundamentais para a detecção e o controle da doença, destaque para a importância da Biomedicina na área da pesquisa e desenvolvimento de vacinas, que tem sido o foco de muitos biomédicos pelo mundo; e a Pesquisa Científica, investigando o genoma do vírus em busca de respostas sobre as características biológicas e genéticas que permitam o combate a essa emergência mundial.

Destacamos a atuação do biomédico em análises clínicas, realizando o diagnóstico molecular (PCR) e o sorológico (imunocromatografia) para o SARS-CoV-2 em laboratórios de urgência e de saúde pública de todo o país

Pesquisas científicas com produtos naturais

O professor Stanley Galvão, com experiência com pesquisas científicas desenvolvendo produtos naturais com atividade antimicrobiana e probióticas através de extratos de plantas e metabolismo primário de microrganismos, ressaltou que a pandemia do novo coronavírus trouxe maior visibilidade à biomedicina.

Com o aparecimento do novo coronavírus e com o rápido aumento de novos casos mundialmente, surgiram muitas dúvidas a seu respeito, como ele pode ser transmitido? O que ele pode causar? Tem cura? A Biomedicina forma profissionais gabaritados para responder todas essas dúvidas e contribuir diretamente no combate à pandemia. Não é à toa que carregamos a marca de pioneiros em mapear o material genético do novo coronavírus, dois dias depois de confirmado o primeiro caso no Brasil. Graças ao trabalho de uma Biomédica que o vírus circulante no Brasil recebeu a identificação de SARS-CoV-2, contribuindo para o desenvolvimento de testes para o diagnóstico mais preciso e até para o desenvolvimento de vacinas. Esse trabalho mudou a maneira da sociedade enxergar a Biomedicina, saindo de um papel de coadjuvantes para protagonistas”, disse.

Com isso, há de se esperar uma maior procura sobre o que é a profissão e o que faz o profissional. Segundo o professor, houve um aumento na procura sim, pelo curso de Biomedicina. 

Isso devido ao perfil do profissional que se forma. É um profissional que se encaixa perfeitamente não só nesse momento de pandemia, mas, devido à sua diversidade de atuação, ele pode se adequar em quaisquer das mais de 30 áreas, que vai da estética avançada até diagnóstico de doenças e desenvolvimento de vacinas. Ser formado em Biomedicina significa possuir um vasto conhecimento, que capacita o profissional a lidar com endemias, epidemias e pandemias. Assim sendo, fica evidente a importância e o destaque dos biomédicos nas frentes públicas de combate à Covid-19, em caráter emergencial ou por tempo indeterminado, como indispensável recurso humano para a saúde pública neste momento”, destacou.

Áreas de atuação do Biomédico

De acordo com o Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), um profissional formado em Biomedicina pode atuar com: Acupuntura; Análise Ambiental; Análises Bromatológicas; Análises Clínicas; Auditoria; Banco de Sangue; Biologia Molecular; Biomedicina Estética; Bioquímica; Citologia; Docência e Pesquisa: Biofísica, Virologia, Fisiologia, Histologia Humana, Patologia, Embriologia, Psicobiologia; Farmacologia; Fisiologia do Esporte e da Prática do Exercício Físico; Genética; Gestão das Tecnologias de Saúde; Hematologia; Histotecnologia Clínica; Imagenologia; Imunologia; Informática de Saúde; Microbiologia; Microbiologia de Alimentos; Monitoramento Neurofisiológico Transoperatório; Parasitologia; Patologia Clínica; Perfusão Extracorpórea; Radiologia; Reprodução Humana; Sanitarista; Saúde Pública; e Toxicologia.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias