CORONAVÍRUS

No Maranhão

1026
26145
6664
853
QUARENTENA

72,2% das pessoas acham que o isolamento deve ser horizontal, diz pesquisa de O Imparcial

Após uma semana os resultados saíram, e, ao todo, 16.871 pessoas participaram da enquete diretamente em nosso site

Reprodução

No dia 25 de março O Imparcial iniciou uma pesquisa para saber qual a sua opinião: na luta contra o coronavírus, a sociedade deve adotar isolamento para todos ou somente idosos e grupos de risco?

Após uma semana os resultados saíram, e, ao todo, 16.871 pessoas participaram da enquete diretamente em nosso site. O resultado foi que a maioria concorda com o atual padrão de manter todos em isolamento (o chamado isolamento horizontal), 72,21% votaram a favor contra 27,79%.

Na luta contra o coronavírus, a sociedade deve adotar isolamento para:Número de pessoas
Todos12.182
Somente Grupo de Risco4.688

Medidas adotadas

O governador do Maranhão, Flávio Dino, determinou no dia 16 de março, através de decreto, a suspensão de grandes eventos no estado por conta da pandemia do novo coronavírus.

Até então, o Maranhão possui 62 casos confirmados da doença.

Entre os eventos suspensos por determinação do Governo do Estado, estão: congressos, seminários, plenárias e similares organizados pelos órgãos e entidades do Poder Executivo, ou que sejam realizados nas suas dependências, que não sejam urgentes e inadiáveis.

O decreto também prevê a suspensão de eventos de qualquer natureza com previsão de grande presença de público e que precisem de licença por parte dos Bombeiros ou da Delegacia de Costumes. Excepcionalmente, poderão ser feitos eventos de grande porte mediante análise prévia das justificativas.

Até quando deve durar o isolamento social?

O governo do Maranhão informou em nota que a interrupção das medidas preventivas do decreto assinado pelo governador Flávio Dino, onde foi determinada a suspensão das aulas, atividades do comércio, serviços não essenciais e outros, ocorrerão somente após o aval dos profissionais da saúde.

O governo reforçou que uma nova avaliação com base nessas orientações da saúde será feita, quando a população do estado estiver segura. O governo não deu prazo de quando haverá nova definição. O retorno das atividades econômicas, escolares e outras continua, portanto, indefinido.

Porém, de acordo com Dino, ainda que em breve, pode haver redução das medidas de quarentena. “Se nós continuarmos este quadro vigente […], e não houver letalidade, casos graves, é claro que a gente pode flexibilizar essas medidas restritivas já a partir do encerramento da vigência desse primeiro decreto (válido por 15 dias)”, declarou.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias