CORONAVÍRUS

No Maranhão

1026
26145
6664
853
QUARENTENA

“Isolamento social só acaba com aval dos profissionais da saúde”, diz governo do MA

O governo não deu prazo de quando haverá nova definição. O retorno das atividades econômicas, escolares e outras continua, portanto, indefinido.

Reprodução

O governo do Maranhão, informou por meio de nota à redação do jornal O Imparcial que a interrupção das medidas preventivas do decreto assinado pelo governador Flávio Dino, onde foi determinado a suspensão das aulas, atividades do comércio, serviços não essenciais e outros, ocorrerão somente com o apoio dos profissionais da saúde.

Ainda em nota, o governo reforçou que uma nova avaliação com base nessas orientações da saúde será feita, quando a população do estado estiver segura. O governo não deu prazo de quando haverá nova definição. O retorno das atividades econômicas, escolares e outras continua, portanto, indefinido.

Confira a nota na íntegra:

O Governo do Maranhão esclarece que a interrupção das medidas preventivas, que inclui o isolamento social, suspensão de aulas, comércio e outras atividades não essenciais, ocorrerá somente quando houver apoio científico dos profissionais de saúde. Reforça, ainda, que tão logo a população esteja segura, será feita nova avaliação com base em orientação científica e à luz dos dados existentes no Estado.

Empresários maranhenses do comércio do Maranhão solicitaram ao Governo do Estado na última sexta-feira (27), a reabertura do comércio a partir do próximo dia 5 com algumas alterações. O serviço considerado não essencial está fechado desde o dia 21.

A carta de sugestão foi elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Maranhão (FCDL), Federação das Associações Empresariais do Maranhão (FAEM), a Câmara de Dirigentes Lojistas de São Luís (CDL), a Associação Comercial do Maranhão (ACM) e a Associação dos Jovens Empresários do Maranhão (AJE),

Na carta, foi considerado cumprir as normas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, que definem o isolamento social por um prazo de 14 dias para que os sintomas se manifestem e os casos possam ser identificados.

A solicitação é para que as atividades comerciais não essenciais passem a ter autorização para funcionar em horário reduzido, das 9h às 14h para os estabelecimentos de rua, e das 14h às 19h para as empresas localizadas em Shopping Centers e Galerias Comerciais, por um período de 15 (quinze) dias.

Também é posto que os estabelecimentos que decidirem pelo funcionamento nesse período de 15 dias iniciais, deverão seguir normas de controle sanitário a serem determinadas no novo Decreto.

O governador Flávio Dino, afirmou durante uma entrevista a uma emissora local, que existe sim a preocupação com a economia mas, antes, é preciso ter a certeza de que a situação não esteja tão grave.

“O nosso desejo é que não seja alongado esse prazo de suspensão das atividades comerciais”, disse o governador. “Agora, nesse caso, nós só vamos decidir à vista da curva dos novos casos, das ocorrências de novas contaminações e mesmo da gravidade que esses pacientes venham a ter”, explicou.

Dino afirmou ainda que em breve pode haver redução das medidas de quarentena. “Se nós continuarmos este quadro vigente […], e não houver letalidade, casos graves, é claro que a gente pode flexibilizar essas medidas restritivas já a partir do encerramento da vigência desse primeiro decreto (válido por 15 dias)”, declarou.

Entidades

O Sindicato dos Médicos do Estado Maranhão (Sindmed-MA), o Conselho Regional de Medicina (CRM-MA) e o núcleo estadual da Associação Médica Brasileira (AMB-MA), divulgaram uma nota conjunta enfatizando a necessidade de isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus.

As três entidades alertaram que o isolamento social é o único meio para prevenir a propagação da Covid-19 até que sejam finalizadas todas as medidas de aparelhamento necessárias à administração da crise sanitária mundial instalada.

Ainda em nota, o Sindmed-MA, o CRM-MA e a AMB-MA recomendam a manutenção das medidas preventivas voltadas à restrição das aglomerações e grande circulação de pessoas.

Conscientes de suas responsabilidades sociais, as entidades recomendam às autoridades, a manutenção das medidas já decretadas, até que se tenha hábil revisão dos indicadores científicos, com o respaldo devido dos especialistas da área de saúde, principalmente, os infectologistas.

Covid-19 no Maranhão

Foram confirmados mais 8 casos do novo coronavírus no Maranhão na noite desta segunda-feira (30). Subiu para 31 o número de infectados no estado, sendo que um deles veio a óbito. Entre os casos há, inclusive, uma menina de apenas 1 ano de idade que foi diagnosticada com Covid-19.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que dos oito novos casos confirmados, dois estão internados. Os outros seis seguem em isolamento domiciliar.

Sobre as 22 pessoas ainda monitoradas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), dois seguem assistidos por hospital da rede privada e um na rede pública. Todos apresentam quadro de saúde estável.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias