DIA MUNDIAL DO DIABETES

Doença silenciosa: Hábitos saudáveis previne diabetes

No Maranhão, em dez anos pelo menos 15 mil mortes foram registradas em decorrência da doença

Reprodução

Doença silenciosa, o diabetes acomete mais de 13 milhões de brasileiros, segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes. No Maranhão, em dez anos pelo menos 15 mil mortes foram registradas em decorrência da doença, segundo dados do Ministério da Saúde, a maioria das mortes poderia ser evitada com cuidados e atenção. No Dia Mundial da Diabetes (14 de novembro), é importante alertas sobre os riscos da diabetes e os cuidados com a doenças.

Para a nutricionista Sabrina Cantanhede, por a diabetes ser uma doença crônica não transmissível caracterizada pela concentração elevada de glicose no sangue resultante da deficiência na secreção da insulina, a melhor forma de prevenir e controlar a doença é praticando exercícios físicos regularmente, manter a alimentação saudável, evitar, principalmente, o consumo de álcool e cigarro.

“A forma ideal de prevenir o diabetes e diversas outras doenças é a partir da prática de hábitos saudáveis Comer diariamente verduras, legumes e, pelo menos, três porções de frutas; reduzir o consumo de sal, açúcar e gorduras; parar de fumar; Praticar exercícios físicos regularmente, (pelo menos 30 minutos todos os dias) e manter o peso controlado”, orienta a especialista.

As principais causas da doença estão ligadas à predisposição familiar, estilo de vida (sedentarismo), excesso de peso, pressão alta, colesterol elevado e uma alimentação inadequada. “O não controle da doença pode levar a complicações como insuficiência renal e cardíaca, doença na visão, doença nos vasos sanguíneos, pé diabético e derrame cerebral”.

Tipos de diabetes – O diabetes tipo 1 acomete 90% dos pacientes no Brasil. Ele se manifesta mais frequentemente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. A indicação é que pessoas com parentes próximos que têm ou tiveram a doença devem fazer exames regularmente para acompanhar a glicose no sangue.

Já o diabetes tipo 2 ocorre quando o corpo não aproveita adequadamente a insulina produzida. A causa desse tipo está diretamente relacionado ao sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados, hipertensão e hábitos alimentares inadequados. Por isso, é essencial manter acompanhamento médico para tratar, também, dessas outras doenças, que podem aparecer junto com o diabetes.

Além do histórico genético e a ausência de hábitos saudáveis, existem outros fatores de riscos que podem contribuir para o desenvolvimento do diabetes: Diagnóstico de pré-diabetes; Pressão alta; Colesterol alto ou alterações na taxa de triglicérides no sangue; Sobrepeso, principalmente se a gordura estiver concentrada em volta da cintura; Pais, irmãos ou parentes próximos com diabetes; Doenças renais crônicas; Mulher que deu à luz criança com mais de 4kg; Diabetes gestacional; Síndrome de ovários policísticos; Diagnóstico de distúrbios psiquiátricos – esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar; Apneia do sono; Uso de medicamentos da classe dos glicocorticoides.

De acordo com Sabrina Cantanhede, “ter hábitos alimentares saudáveis é de fundamental importância para o cuidado com a diabetes”. Ainda com a profissional, “alimentos ricos em carboidratos simples e açúcar como refrigerantes, bolos, pães, salgados e os industrializados em geral devem ser excluídos da rotina alimentar”. Enquanto isso, é preciso “aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras como arroz integral, grãos integrais, leguminosas, oleaginosas, frutas com baixo índice glicêmico, gorduras boas (abacate, coco, azeite de oliva) e alimentos com baixo teor de gordura são úteis para o tratamento”.

A nutricionista alertou, também, sobre a atenção com as frutas com o índice glicêmico mais elevado, como melão e melancia. Segundo ela, eles não precisam ser evitados.  O mais importante é controlar o tamanho da porção.

Já os alimentos dietéticos não devem ser consumidos livremente por pessoas com diabetes, pois, nem todos os alimentos diets são sem açúcar. Os produtos diet geralmente possuem a restrição de algum ingrediente na composição, a exemplo o sal, gordura e o açúcar, com o objetivo de suprirem dietas com restrições ao consumo desses ingredientes. Por isso, é preciso verificar o rótulo dos alimentos, mesmo dos indicados como dietéticos.

“Produtos diets e bebidas alcóolicas devem ser consumidos com orientação do nutricionista. Manter o peso adequado, praticar atividade física, controlar o colesterol, seguir uma dieta equilibrada e individualizada com acompanhamento nutricional são fatores primordiais para garantir o controle da doença e qualidade de vida do diabético” acrescenta Sabrina.

Alimentos diets não significam alimentos saudáveis. Assim como nem todos os alimentos dietéticos apresentam redução significativa na quantidade de calorias. Os diabéticos devem observar com cuidado os produtos para compreender a quantidade de carboidrato, nutriente que mais tem efeito na glicemia, já que a totalidade do que ingerido transforma-se em glicose, e das fibras, uma vez que elas atuam no controle da glicemia. O recomendado é que pacientes com diabete mantenham uma dieta rica em fibras, presentes em frutas, verduras, hortaliças e grãos.

Os adoçantes são uma recomendação para os diabéticos. Nenhum adoçante é proibido para quem tem diabete, mas cada pessoa deve escolher o que mais se adapta ao seu paladar.

Para a nutricionista Sabrina Cantanhede, assim como qualquer pessoa, o diabético deve ter uma alimentação saudável e hábitos de vida equilibrados” e conclui orientando que “quem tem a diabetes deve manter uma alimentação equilibrada, regular, variada e natural”. E mais, “deve ser fracionada, em torno de 3 em 3 horas para evitar hipoglicemia e descontrole da fome, resultando em maior ingestão de alimentos após longos períodos sem se alimentar”.

Outra dica da especialista é “seguir metas de carboidratos por refeições de acordo com seu gasto energético total, escolher alimentos mais naturais, menos industrializados e processados”.

E continua, “incluir fibras dietéticas com a ingestão de cereais integrais, leguminosas, frutas frescas e vegetais, e gorduras boas como azeite, frutas oleaginosas, peixes e carnes magras. O controle de açúcar, sal, frituras, colesterol e gordura saturada é bom para todas as pessoas, inclusive para quem tem Diabetes, hábitos tais que devem ser prioridade”, finaliza a especialista.

Políticas de saúde – O País assumiu como compromisso deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019, por meio de políticas intersetoriais de saúde e segurança alimentar e nutricional; reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta, até 2019; e ampliar pelo menos 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente até 2019.

Outra ação para a promoção da alimentação saudável foi a publicação do Guia Alimentar para a População Brasileira. Reconhecida mundialmente pela abordagem integral da promoção à nutrição adequada, a publicação orienta a população com recomendações sobre alimentação saudável e para fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias