SAÚDE

Mudanças no clima causam aumento de viroses na capital

Segundo especialistas, casos são verificados com frequência por conta das mudanças climáticas. No Maranhão também aumenta a incidência da doença nesta época do ano

Reprodução

“Parece que fui atropelada, ou que peguei uma queda. Dói todo o corpo, a cabeça. Tossir dói, respirar dói, deitar dói. A vontade que dá é de ficar jogada na cama até a gripe passar”. Esse foi o desabafo da estudante Ana Lívia Campos, 18 anos, mas poderia ser o meu também, o seu e o de tantas outras pessoas que foram ou que estão acometidas com o vírus da gripe.

No Maranhão, nesta época do ano, aumenta a incidência da doença, também, não é para menos.  Uma hora sol e, de repente, chuva.

Uma mudança no tempo e logo aparecem algumas reações no corpo, como dor de cabeça, febre, tosse, diarreia, entre outros sinais. Cada pessoa apresenta sintomas diferentes, mas todos eles têm indicado, em geral, o mesmo problema: as viroses, bastante comuns nessa época do ano.

Assim que observou esses sintomas na filhinha, Cleudilene da Silva Santos levou a pequena Maria Eduarda Santos, de dois anos, ao Hospital Guarás. “Assim que percebi que minha filha não estava muito bem, teve vômito, diarreia, febre, viemos logo para cá, pois sempre ficamos muito assustados quando ela não está bem. Então, é melhor trazê-la para o atendimento médico”, garantiu a mãe.

Pelos corredores das unidades de urgência e emergência grande quantidade de pessoas busca atendimento, relatando sintomas assim como os que Maria Eduarda apresentou.

Segundo o médico Bruno Pereira Eufrásio, as viroses são bastante comuns neste período, dadas as alterações climáticas. Essas infecções de via respiratória são caraterizadas por secreção nasal de coloração meio esbranquiçada, quadro com tosse, alguns casos acompanhados com dor de cabeça e febre. “Outro quadro de virose se configura como uma gastroenterite (viral), que pode ser provocada por vários vírus diferentes e seus principais sintomas são diarreia, cólicas e vômitos”, atestou o médico.

A orientação médica é procurar atendimento em uma unidade de saúde, a fim de se obter o melhor diagnóstico para a correta profilaxia (administração de medicamentos, se for o caso). Jamais o paciente deve se automedicar. “O uso indiscriminado e indevido de medicamentos pode mascarar sinais e sintomas de algumas doenças e pode ainda piorar o quadro da pessoa”. Outra orientação do médico é andar calçado, evitar estar com roupas úmidas, caso seja molhado pela chuva; secar bem os cabelos após o banho. Manter as mãos sempre bem lavadas e também ter muito cuidado quanto à higiene dos alimentos é a melhor prevenção.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias