ENTENDA

Afinal, qual a situação da meningite no Maranhão?

Segundo dados da CIEVS, em 2019, até agora, o Estado do Maranhão notificou 124 casos suspeitos de meningite. Destes, 44 foram confirmados (incluindo 13 óbitos) e 81 descartados. Na capital, foram 14 casos, destes, 5 vieram a óbito. Portanto, até o momento, a situação não caracteriza um surto da doença.

Reprodução

Nos últimos dias, dois casos confirmados de meningite na capital maranhense deixaram a cidade em alarde. O primeiro acometeu uma criança de 4 anos, no bairro do Araçagy e o segundo caso foi registrado na UPA da Cidade Operária, com uma paciente de 24 anos, residente da região de Paço do Lumiar.

Foto: Reprodução

Imediatamente, escolas e creches da Grande São Luís começaram a emitir notas informando a suspensão das aulas para que as medidas de segurança pudessem ser tomadas. Ao mesmo tempo, diversas notícias sobre o assunto começaram a rodar as redes sociais.

Procurando esclarecer a situação, o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, CIEVS, emitiu uma nota informativa garantindo que todas as medidas de prevenção e controle já estão sendo tomadas.

Vale lembrar que, no Brasil, a meningite é uma doença endêmica. Portanto, é esperado que casos da doença sejam registrados ao longo do ano, possibilitando a ocorrência de possíveis surtos e epidemias. As mais prováveis e mais importantes, de acordo com a saúde pública, são a meningite bacteriana no inverno e a meningite viral durante o verão.

A Vigilância Epidemiológica do Estado e do Município estão em ALERTA e seguem no acompanhamento de todos os casos notificados. Por isso, é necessário a procura de um médico, em caso de suspeita.

Segundo dados da CIEVS, em 2019, até agora, o Estado do Maranhão notificou 124 casos suspeitos de meningite. Destes, 44 foram confirmados (incluindo 13 óbitos) e 81 descartados. Na capital, foram 14 casos, destes, 5 vieram a óbito. Portanto, até o momento, a situação não caracteriza um surto da doença.

É válido lembrar que a vacinação para bloqueio só é indicada em casos caracterizados como surto de meningite bacteriana meningocócica, quando o Agente Etiológico é conhecido, não sendo indicada a vacinação em casos isolados.

Nas redes sociais, o Secretário de Saúde do Estado do Maranhão, Carlos Eduardo Lula, ressaltou que não há surto de meningite no Estado e descartou esta possibilidade.

Veja também: Mudanças no clima aumentam viroses na capital.

Leia a nota informativa na íntegra aqui.

Qual a diferença entre meningite viral e bacteriana?

A meningite viral é a forma mais comum e também mais leve da doença, com sintomas mais brandos, acometendo principalmente crianças e bebês. A maioria dos casos viral são resolvidos sem complicações. A doença, nesse caso, é provocada por vírus e os sintomas são semelhantes ao da gripe, como febre e dor de cabeça, uma diferença significativa é que, nesse caso, a nuca costuma apresentar rigidez.

Já a meningite bacteriana é considerada gravíssima e exige tratamento de urgência, a ausência de tratamento ou tratamento tardio pode causar danos cerebrais e provocar infecção generalizada, levando à morte. Esse tipo de meningite é causado por bactérias, entre elas, as mais comuns são: meningococo, pneumococos e haemophylus.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias