AÇÃO SOCIAL

Resgate de dependentes e combate a Tuberculose na região do Mercado Central

O resgate de pessoas e a aceitação da ação mostra que estamos tendo êxito, na medida em que conseguimos tirar essas pessoas de situação de vulnerabilidade social e fazer a ressocialização delas

Reprodução

Trabalhadores, moradores e transeuntes da região do Mercado Central, em São Luís, tiveram acesso, na manhã desta terça-feira (26), a uma série de serviços de saúde durante ação realizada pelo Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual), Programa Estadual de Controle da Tuberculose e 1º Distrito Policial de São Luís. É a quinta ação de resgate de dependentes químicos do ano – 37 já foram resgatados este ano.

Além do encaminhamento para serviços de saúde mental da Secretaria de Estado da Saúde (SES) de dependentes químicos e da oferta de testes de glicemia, aferição de pressão arterial, testes rápidos e exames laboratoriais, foram disponibilizados informações e testes para detecção da tuberculose (cultura de BAAR). No total, foram 369 atendimentos em saúde e quatro pacientes retirados da rua e internados na Unidade de Acolhimento e Caps Ad Estadual.

“A tuberculose é uma doença infectocontagiosa, que atinge, principalmente, as pessoas mais vulneráveis. Na área do Mercado Central, temos muitas situações de vulnerabilidade, que são as pessoas em situação de rua e usuários de álcool e outras drogas. Fizemos testes de escarro e anotamos os dados das pessoas de quem foi coletado o material e, se necessário, daremos o encaminhamento”, explicou Rosany Carvalho, coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose da SES.

O funcionário público José Mário Rodrigues Pinto aproveitou a oportunidade para ver como estava a saúde. “Esse é o lugar ideal para fazer uma ação dessas, porque tira da unidade de saúde o serviço e leva ao público. Já vi outras ações aqui do tipo e vi resultado, é valioso o que fazem”, comentou.

Resgate

Rosany Carvalho, coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose da SES (Foto: Julyane Galvão)

Uma usuária de álcool de 39 anos que mora na rua desde a sexta-feira (22) aderiu ao tratamento oferecido pelo Caps AD Estadual na ação. Ela quer se livrar do vício. “Tô jogada, sem família, sem nada. Acho que a bebida vai adiantar, mas não adianta. Vou com eles, porque não quero mais essa vida maldita. É uma chance”, disse.

Ela é uma das 37 pessoas resgatadas em 2019 em cinco ações realizadas, quatro na região do Mercado Central e uma na Praça Deodoro.

“O resgate de pessoas e a aceitação da ação mostra que estamos tendo êxito, na medida em que conseguimos tirar essas pessoas de situação de vulnerabilidade social e fazer a ressocialização delas. As ações trazem informação a quem não tem acesso a esse tipo de serviço e saúde a toda população”, destacou o diretor do Caps AD Estadual, Marcelo Costa.

A Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) apoiou a ação.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias