DIA MUNDIAL SEM TABACO

O tabagismo é o maior fator de risco do câncer de pulmão

Fumar é o grande  fator de risco para desencadear o câncer de pulmão, cerca de 90% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco

Reprodução

Nesta quinta-feira, 31, é o Dia Mundial Sem Tabaco. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), fumar é o grande  fator de risco para desencadear o câncer de pulmão, cerca de 90% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. O câncer de pulmão está entre os que mais matam pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo o Inca, além do câncer, uso do tabaco é uma das principais causas de infarto, angina e acidente vascular cerebral (AVC). Em relatório divulgado nesta quarta-feira, 30, a OMS revelou que o tabagismo mata mais de 7 milhões de pessoas todos os anos, 3 milhões desse montante, de doenças cardiovasculares.

Dados da organização mostram que as doenças cardiovasculares matam mais pessoas do que qualquer outra enfermidade no mundo, sendo que fumantes passivos (não-fumantes que convivem com fumantes) respondem por aproximadamente 12% do total de mortes por doenças do coração. O uso do tabaco figura como a segunda principal causa de doenças cardiovasculares, atrás apenas da pressão arterial alta.

Mortes no Brasil

De acordo com o Inca, 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa do tabagismo. Conforme dados do Inca, 12,6% de todas as mortes registradas no país são atribuíveis ao tabaco. Ao todo, 156.216 mortes poderiam ser evitadas todos os anos, caso o uso do tabaco fosse eliminado.

Como parar de fumar

Com o intuito de diminuir o número de fumantes no mundo, surgiu o Dia Mundial sem Tabaco, que busca alertar os fumantes e não fumantes sobre o desastre que o tabagismo causa na saúde. Para quem deseja se livrar da dependência química do tabaco, o Inca disponibiliza uma cartilha com dicas para quem deseja parar de fumar.

O Inca alerta que os fumantes podem ainda, procurar uma Unidade Básica de Saúde do SUS nas cidades para mais informações sobre o tratamento e será ajudado por um profissional de saúde.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS