TERCEIRA IDADE

Idosos que praticam atividade física caem menos

A queda é algo corriqueiro entre os idosos e uma das maiores causas de morte em pessoas acima dos 65 anos de idade

O envelhecimento traz a frequência de quedas entre os idosos, afinal, é nessa etapa que ocorre a perda de massa muscular, o aumento do desequilíbrio e as dificuldades visuais. Esses fatores não podem ser erradicados, mas reduzidos.

Em 2012, a US Preventive Services Task Force (USPSTF) recomendou duas intervenções para evitar quedas na terceira idade: exercícios e vitamina D. Entretanto, foi apontado que a vitamina D não se mostrou tão eficaz – se tornou até responsável pelo aumento de pedras nos rins – exceto para aqueles que sofrem de osteoporose ou deficiência da vitamina.

“A USPSTF encontrou evidências adequadas de que a suplementação de vitamina D não tem nenhum benefício na prevenção de quedas em idosos”, disseram as diretrizes publicadas no Journal of American Medical Association. 

O co-autor e vice-presidente da USPSTF, Alex H. Krist, realça a relevância dos exercícios e uma intervenção personalizada que pode ser executada com eficácia:

  • Fisioterapia;
  • Terapia nutricional;
  • Controle de medicações;
  • Mudanças do ambiente doméstico;
  • Serviços sociais e comunitários.

Essas medidas são necessárias principalmente para a preservação muscular e a coordenação motora. A fisioterapia, por exemplo, é de extrema importância para recuperar a agilidade, força e equilíbrio. Além disso o uso de remédios, doenças e confusões mentais contribuem também para que essas quedas sejam cada vez mais recorrentes.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS