ALERTA

AVC mata mais mulheres que homens

Alterações hormonais e distúrbios relacionados à pressão arterial, especialmente na gravidez, são listados como os principais causadores da doença em mulheres

Estatísticas revelam que mulheres têm maior chance de sofrer Acidente Vascular Cerebral (AVC) que os homens, é o que afirma a Associação Americana do Coração. No passado, esses dados apontavam homens como as vítimas mais comuns da doença, provocada muitas vezes por hábitos pouco saudáveis, como abuso de álcool e cigarro.

Alterações hormonais e distúrbios relacionados à pressão arterial, especialmente na gravidez, são listados como os principais causadores da doença em mulheres. Além disso, elas estão mais suscetíveis aos fatores de risco que podem desencadear um Acidente Vascular Cerebral. Sintomas como enxaqueca, depressão ou arritmia cardíaca estão entre os mais frequentes.

O que é o AVC?

AVC (Acidente Vascular Cerebral), conhecido como derrame, ocorre quando há um entupimento ou mesmo rompimento dos vasos sanguíneos ligados ao cérebro. Também pode ser chamado de Acidente Vascular Encefálico.

Os dois principais tipos de AVC

Isquêmico: quando há obstrução à passagem do fluxo sanguíneo e as células do tecido, que devem ser vascularizadas, morrem por falta de sangue.

Hemorrágico: acontece quando há o rompimento de um vaso e ocorre sangramento dentro dos tecidos cerebrais. Há um extravasamento de sangue por ruptura do vaso ou parede vascular doente.

Sintomas

De acordo com a neurologista Maria Letícia, da UDI, os sintomas são agudos e ocorrem de forma súbita. Os mais frequentes são a alteração da fala, paralisia de um lado do corpo, braço ou perna. Se o AVC ocorrer na área da visão, o paciente tem perda do campo visual. “Em algumas situações quando ocorre o AVC hemorrágico o paciente sente uma dor de cabeça como nunca sentiu na vida, seguido de um rebaixamento do nível de consciência; e no AVC isquêmico, os déficits são agudos e, mesmo confuso, o paciente mantém um nível de consciência, mas com um lado do corpo paralisado”, explicou a médica.

Tratamentos

Os déficits do AVC isquêmico podem ser completamente reversíveis desde que o atendimento seja rápido, com tempo estimado para tratamento eficaz de até 4 horas e meia desde o início dos sintomas. É provável que haja a necessidade de aplicação da medicação na veia juntamente com a desobstrução do vaso com o cateter.

“Alguns estudos novos permitem que tratamentos sejam realizados, como a trombectomia mecânica, remoção de um trombo (coágulo), feito pelo emodinamicista para a desobstrução dos vasos em até 24 horas do início dos sintomas”, afirmou a neurologista.

O tratamento do AVC hemorrágico é um pouco diferente, por apresentar danos mais catastróficos, podendo levar o paciente a óbito no momento da ruptura do vaso. O paciente deve ser levado imediatamente ao hospital, para a drenagem cirúrgica do sangue, se necessário.

AVC nas mulheres

“As mulheres tem ganhado muito espaço por conta de uma predisposição à trombose, devido aos fatores hormonais que desencadeiam esse tipo de AVC”, ressalta a médica.

Dentre os agravantes do derrame no sexo feminino, alguns fatores potencializam o avanço da doença, como o uso combinado de anticoncepcionais e cigarro, sedentarismo, colesterol alto, consumo de álcool, hipertensão, obesidade, estresse, depressão e doenças cardíacas.

Prevenção

Muitas vezes os sintomas de um acidente vascular são ignorados retardando o tratamento adequado, já que infelizmente uma grande parcela das mulheres não sabe que, diante dos fatores de risco, ficam mais propensas a sofrerem com derrame e apresentarem recuperação mais lenta que os homens.

A neurologista recomenda que seja feito um controle adequado da pressão arterial, pacientes diabéticos tem mais chance ter o AVC, e por isso devem ter um manejo rigoroso da glicemia, realizar atividades físicas regularmente e ter uma alimentação saudável.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS