SAÚDE

Mutirão de Glaucoma será realizado em 20 municípios

Para passar em consulta no mutirão, o paciente precisa apresentar cópia de documento de identidade, cartão do SUS e comprovante de endereço

Reprodução

Vinte municípios das regionais de saúde de Caxias e Presidente Dutra receberão até a próxima quinta-feira, 22, o Mutirão do Glaucoma, estratégia executada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), que garante o acesso ao diagnóstico e tratamento gratuitos aos maranhenses. No último sábado, as consultas ocorreram, pela manhã, em Afonso Cunha e Governador Archer e, à tarde, em Coelho Neto e Dom Pedro.

“O mutirão, realizado de forma sistemática pela SES, tem beneficiado milhares de maranhenses. Com os mutirões, garantimos o tratamento adequado e ampliamos a assistência oftalmológica”, destaca o secretário de estado da Saúde, Carlos Lula.

Em Caxias, as consultas começaram no Hospital Macrorregional de Caxias Dr. Everaldo Ferreira Aragão, ontem, no período da tarde. Já em Presidente Dutra, na manhã da próxima quinta-feira, 22, no Hospital Macrorregional de Presidente Dutra.

Os outros municípios contemplados são Aldeias Altas, Gonçalves Dias, Capinzal do Norte, São João do Sóter, Graça Aranha, Governador Luiz Rocha, Santa Filomena, Joselândia, São José dos Basílios, Santo Antônio dos Lopes.

O novo ciclo de atendimentos teve início na sexta-feira (16), nas cidades de Buriti, Duque Bacelar, Senador Alexandre Costa e Governador Eugênio Barros.

Mutirão

Em janeiro, 58 municípios, de sete regionais de saúde, foram contemplados com o Mutirão do Glaucoma. Nas ações, mais de seis mil pessoas foram atendidas, das quais 37,7% foram diagnosticadas com a doença.

Para passar em consulta no mutirão, o paciente precisa apresentar cópia de documento de identidade, cartão do SUS e comprovante de endereço. Nos casos diagnosticados de glaucoma, o paciente recebe o colírio gratuitamente pela SES.

O glaucoma não possui cura, mas ele pode ser tratado e controlado com colírios, laser e, em último caso, cirurgia. Com o acompanhamento médico e uso das medicações evita-se a perda da visão, uma vez que a pressão do olho é estabilizada.

Pessoas com casos da doença na família, aquelas com mais de 40 anos, negros, altos míopes, diabéticos e pacientes que tiveram trauma ocular ou doenças intraoculares fazem parte do grupo de risco e devem, prioritariamente, realizar consultas anuais.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS